5 curiosidades sobre Enver Hoxha

Conheça mais sobre esse importante líder

 

1 – Enver Halil Hoxha foi um líder comunista albanês, que comandou o país europeu por 40 anos. Natural da cidade de Gjirokastër, nasceu em outubro de 1908, ainda quando a Albânia fazia parte do Império Otomano. Filho de um rico comerciante de roupas muçulmano, estudou francês na juventude, além de ganhar uma bolsa na Universidade de Montpellier, na França.

 

Casa onde Hoxha foi criado, em Gjirokastër.

 

2 – Abandonou os estudos para ser secretário da embaixada albanesa em Bruxelas, na Bélgica. Nessa experiência no exterior voltou fluente em várias línguas e com uma grande carga cultural. De volta ao seu país de origem em 1936, se tornou professor na cidade de Korçë. Em 1939, quando a Albânia foi invadida pela Itália de Mussolini. Por se recusar a assinar sua filiação no Partido Fascista Albanês, Hoxha foi demitido do seu cargo e abriu uma tabacaria na capital Tirana.

 

Hoxha como partisan em 1944.

 

3 – Seu estabelecimento serviu como uma célula comunista, principalmente após 1941, quando foi um dos fundadores do Partido Comunista Albanês (posteriormente Partido Trabalhista da Albânia). Em 1944, com a expulsão do regime fascista italiano, uma eleição de partido único foi realizada, no qual a sigla vencedora foi a comandada por Hoxha. Desse momento em diante, ele foi o primeiro-ministro albanês até 1954. Mesmo tendo ficado neste cargo por apenas 10 anos, o político comunista mandou no país por 40 anos, visto que era o Secretário Geral do único partido permitido na Albânia.

 

Casamatas Albânia construídas durante o governo de Hoxha para evitar possíveis invasões. Mais de meio milhão foram construídas.

 

4 – Sobre a tutela de Hoxha, o pequeno país europeu se tornou autossuficiente na produção de alimentos, além de se transformar numa economia industrializada. A saúde e a educação foram severamente melhoradas, com o fim do analfabetismo e a vacinação contra diversas doenças antes epidêmicas. No entanto, seu governo usava diversas táticas stalinistas, como: prender, executar e exilar diversos opositores, fazendeiros e empresários. As religiões foram proibidas e seus sacerdotes perseguidos. Também houve o fim de toda propriedade privada e a planificação e coletivização da economia. Por fim, todas as instituições culturais e educacionais eram instrumento de propaganda do governo comunista.

 

Hoxha foi exumado em 1992 e reinumado informalmente. A foto mostra seu segundo túmulo.

 

5 – Durante seus 40 anos no poder, teve relações estreitas com a Iugoslávia, União Soviética e a China de Mao Tsé-Tung (saiba mais aqui). Contudo, em vários momentos, seu nacionalismo ultrapassava seu ideário comunista, com o rompimento posterior com vários regimes socialistas de outros países. Hoxha isolou a Albânia do mundo, pregando a autossuficiência. Em 1981, ordenou a execução de diversos membros do seu partido e de funcionários governamentais, já preparando sua sucessão. Em 11 de abril de 1985 faleceu de problemas cardíacos, deixando o país nas mãos de Ramiz Alia. Após a sua morte, a Albânia se encontrava com um dos países mais pobres e atrasados da Europa. Mesmo tendo deixado certo legado na saúde e na educação, a estagnação e isolamento deixados por Hoxha só começaram a ser superados com a redemocratização no país, iniciada em 1991.

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •