5 curiosidades sobre Itamar Franco

Conheça mais sobre esse importante político brasileiro

 

1 – Infância e juventude

Itamar Franco foi um importante político brasileiro radicado em Minas Gerais. Nasceu em um navio que fazia o percurso Rio de Janeiro-Salvador, sendo registrado em Salvador com a data de nascimento 28 de junho de 1930. Não conheceu seu pai, que faleceu antes mesmo de nascer. Deste modo, foi criado pela mãe em Juiz de Fora, cidade mineira. Fez toda sua educação na cidade, inclusive a já extinta graduação em engenharia civil eletrotécnica na Escola de Engenharia de Juiz de Fora (atualmente faz parte da UFJF), onde se formou em 1955.

 

O presidente Fernando Collor e seu vice Itamar Franco, chegando ao Palácio do Planalto.

 

2 – Entrada na política

Além de engenheiro, Itamar também era oficial da reserva, mas suas aspirações não se voltaram para nenhuma destas profissões. No mesmo ano de formado, ingressou no Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Em 1958 tentou se eleger para vereador e em 1962 para vice-prefeito, porém, não teve sucesso em nenhuma das eleições. Sua sorte começou a mudar quando a ditadura militar se instalou e acabou por permitir apenas 2 partidos (ARENA e MDB).

 

Presidente Fernando Collor recebe seu vice Itamar Franco.

 

3 – Sucesso regional

Filiado ao MDB, Itamar se candidatou a prefeito de Juiz de Fora em 1967, conseguindo sua primeira vitória eleitoral. Em 1972, foi reeleito, mas 2 anos depois saiu do cargo para se candidatar ao Senado Federal. Mais um vez foi bem-sucedido, tomando posse em 1975. O político mineiro foi oposição durante muitos anos. Na década de 80, se transferiu para o PMDB, sucessor do seu antigo partido, além de ser um grande defensor das Diretas Já. Na reabertura política do Brasil, foi um grande apoiador do seu amigo Tancredo Neves (saiba mais aqui) na campanha presidencial indireta. Em 1986 buscou se eleger governador de Minas pelo Partido Liberal (PL), mas perdeu por uma diferença de 1% dos votos, retornando para a vaga de senador e participando ativamente da Assembleia Nacional Constituinte.

 

Medida provisória que criou a Unidade Real de Valor, iniciando o Plano Real.

 

4 – Vice e presidente

Em 1989, aceitou se aliar a Fernando Collor de Mello, então governador de Alagoas na campanha presidencial. Como vice, mudou para o pequeno PRN. Com a surpreendente vitória da sua chapa, Itamar foi empossado vice-presidente em março de 1990. Contudo, sem compactuar com a política econômica do governo, foi se afastando aos poucos do presidente eleito. Em 1992, acabou por ser empossado interinamente na presidência após a abertura do processo de impeachment de Collor, se tornando o 33° presidente em 29 de dezembro de 1992. Quando assumiu, buscou combater a grave crise econômica que se abatia no Brasil. Em 1994 ele e sua equipe lançaram o Plano Real, responsável pela estabilização da economia nacional. Ainda realizou o plebiscito para escolher a forma e o sistema de governo brasileiros, com vitória da república e do presidencialismo.

 

Itamar no Senado, em 2011.

 

5 – Anos finais

Após sair da presidência, se tornou embaixador brasileiro em Portugal e Estados Unidos. Em 1999 foi eleito governador de Minas Gerais, não concorrendo à reeleição em 2002. Com a vitória de Lula, quem tinha apoiado para a presidência, foi nomeado embaixador na Itália, permanecendo até 2005. Perdeu as indicações para presidente e senador do PMDB em 2006, mudando para o PPS em 2009 visando concorrer em 2010. Desta vez, foi eleito para o Senado Federal novamente. Assumiu em 2011, mas em maio foi diagnosticado com leucemia. Se afastou do cargo para se tratar, mas não resistiu, morrendo aos 81 anos de idade e deixando um grande legado na política brasileira.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •