5 curiosidades sobre o Sutra do Diamante

Conheça mais sobre esse famoso texto budista

 

1 – Primeiro, o que seria o Sutra do Diamante? Bem, os sutras são os textos canônicos do budismo, ou seja, são escrituras que remontam ao início da religião e que contêm ensinamentos e histórias de Buda e de outros patriarcas budistas. O texto, conhecido em sânscrito como Vajracchedika-prajñāpāramitā-sūtra, é um dos principais do budismo Mahayana, uma das duas principais tradições dessa religião. Para os fins deste artigo, é preciso dizer que um exemplar do Sutra do Diamante datilografado em 11 de maio de 868 na China, é o mais antigo livro impresso do mundo.

 

A essência dos 49 anos de ensinamentos de Buda estão contidos nestas quatro linhas do Sutra Diamante. “Todos os fenômenos condicionados são como sonhos, ilusões, bolhas e sombras, como orvalho e relâmpago; devemos contemplá-los desta forma.”

 

2 – Na verdade a obra é um pergaminho que traduzia o livro do sânscrito – hoje uma língua morta – para o chinês. No total, a peça tem mais de 5 metros de comprimento. Em segundo lugar, como se sabe a data exata da sua fabricação? Isto é simples: o autor do livro a datou e ainda colocou seu nome nele. No começo do pergaminho está escrito: “Reverentemente feito para distribuição gratuita universal por Wang Jie em nome de seus dois pais”. Não se sabe quem foi Wang Jie, mas pelo menos ele explica que o Sutra do Diamante traduzido é do “13° (dia) da 4ª lua do 9º ano de Xiantong na época de Jie”, que pode ser convertido para 11 de maio do ano 868.

 

Caverna dos 10 mil Budas, construída no período Tang em 680.

 

3 – Mas como um livro pôde ser impresso em 868? Nós, ocidentais estamos acostumados a aclamar Johann Gutenberg e sua prensa como o início da impressão de livros. No entanto, a famosa Bíblia de Gutenberg foi impressa apenas em 1455. Na China, a técnica da xilogravura era utilizada muito antes disso! Nesse tipo de processo, o artesão tinha que entalhar as letras ou figuras que queria em madeira, depois molhava as partes salientes de tinta e em seguida “carimbava” o pergaminho de papel ou couro animal, fixando a escrita nesta superfície.

 

A produção da  Bíblia de Johann Gutenberg começou em 1450, tendo ele usado uma prensa de tipos móveis. Calcula-se que tenha terminado em 1455. Essa Bíblia é considerada o incunábulo mais importante, pois marca o início da produção em massa de livros no Ocidente.

 

4 – Então, agora você deve ter entendido como um livro datado do ano 868 é considerado o primeiro exemplar impresso da história. 587 anos antes da Bíblia de Gutenberg, diga-se de passagem. Sobre o texto: o Sutra do Diamante tem mais ou menos 6000 palavras e relata uma conversa do próprio Buda com um aluno acerca das ilusões que nos cercam, aconselhando a “cortá-las” como uma lâmina feita de diamante e encarar a realidade como ela é.

 

Na Biblioteca Britânica, há uma cópia do Sutra do Diamante de 868 d.C.

 

5 – O pergaminho foi achado em 1900 por um monge taoísta chamado Wang Yuanlu, que vasculhava antigas cavernas usadas na época da Rota da Seda. Localizadas em Dunhuang, na China, essas cavernas escondiam uma antiga biblioteca selada por volta do ano 1000 por conta das guerras. Neste local, que ficou conhecido como “A Caverna dos Mil Budas”, o Sutra do Diamante xilogravado foi encontrado junto a mais de 40 mil outros pergaminhos. Apenas em 1907 a descoberta foi relatada ao arqueólogo Marc Aurel Stein, que propagou a notícia do achado e percebeu o valor das obras contidas ali. Atualmente, o primeiro livro impresso que se tem notícia está guardado na British Library, em Londres.

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •