5 curiosidades sobre o Sydney Opera House

Conheça mais sobre uma das obras de arquitetura mais ousadas e inovadoras do mundo

 

 

1 – A Ópera de Sydney é uma das construções mais conhecidas do mundo. Sua arquitetura ousada e inovadora chama a atenção de todos que a veem. As obras para edificação do prédio foram iniciadas em 1959 e a inauguração oficial ocorreu em 20 de outubro de 1973.

 

2 – Um concurso internacional foi realizado para a escolha do projeto arquitetônico que seria construído em Sidney. Houve 232 inscritos do mundo todo, sendo o vencedor um desconhecido arquiteto dinamarquês, chamado Jørn Utzon. Entre 1957 e 1959 Utzon aperfeiçoou seu projeto, visto que nunca tinha visitado o local escolhido para abrigar a Opera House.

 

Alguns dos esboços do projeto

 

3 – A obra foi dividida em três fases e demandou muitas adaptações e novos métodos de construção, dadas as formas inovadoras e complexas da edificação.  A primeira fase foi concluída em 1963. Em 1965, os pedidos financeiros do arquiteto para o início da fase 3 foram negados e no ano seguinte o partido político que havia iniciado a obra perdeu as eleições. Por razões políticas e pessoais Jørn Utzon abandona o projeto da Ópera de Sydney.

 

4 – Arquitetos australianos continuaram coordenando a obra, que ficou pronta em 1973. Ela foi um marco para a cidade de Sydney e para a Oceania. São quatro áreas para concertos e shows. A maior, chamada Concert Hall, tem lugares para 2680 pessoas. A menor possui espaço para 400 pessoas. Há um grande órgão (instrumento musical) na Opera House que tem mais de 10 mil tubos por onde o som sai.

 

 

5 – Os telhados do prédio têm a forma de conchas. O processo de construção dessa etapa foi a mais complicada da obra, pois não havia tecnologia na época para tal, nem no âmbito da engenharia, quanto no de materiais. Utzon se inspirou em tigelas de cerâmica japonesas para as telhas da Opera House. Foram necessários 3 anos de produção do produto na Suécia, que totalizou mais de 1 milhão de telhas empregadas na construção. O que há de especial no telhado da Ópera de Sydney, é que ele está sempre branco. Isso ocorre porque as telhas são auto-limpáveis, podendo uma simples chuva limpar todo o telhado do edifício e economizando várias horas de limpeza e manutenção humana.

  • 9
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •