5 fatos sobre a República Árabe Unida

Conheça mais sobre a curta existência deste país

 

1 – A República Árabe Unida (RAU) foi um Estado que se originou da união entre Egito e Síria em 1° de fevereiro de 1958. Visando o início da criação de uma grande nação árabe e do fim da dependência dos países do Norte da África e do Oriente Médio do Ocidente, a RAU teve curta duração, existindo até 1961 apenas.

 

Localização da República Árabe Unida. Fonte: Wikipedia

 

2 – O antes possante poderio árabe visto na Idade Média, fora substituído pela dominação europeia na região até depois da Segunda Guerra Mundial. Ainda na segunda metade dos anos 40, Israel foi formado em pleno Oriente Médio. Com o início da formação de Estados independentes, um clamor pela revigoração da cultura e da força política árabe foi iniciado. Também havia a vontade de se vingar das constantes derrotas militares para os israelenses, judeus em sua maioria.

 

Nasser assina o pacto de unidade com o presidente da Síria, Shukri al-Quwatli, formando a República Árabe Unida (fevereiro de 1958).

 

3 – Então surgiu a imagem de Abdel Nasser, que alcançou o cargo de presidente do Egito após um golpe militar que destituiu a monarquia no país. De personalidade forte, era um ferrenho defensor do nacionalismo pan-arabista e de se afastar das influências ocidentais. Após a nacionalização do Canal de Suez em 1956, Nasser se tornou um herói no mundo árabe, ao peitar ao mesmo tempo a Inglaterra e Israel. Essa atitude aproximou o Egito da Síria, que convivia com grandes chances de ter seu governo tomado pelos comunistas. Mesmo com a oposição de vários setores políticos sírios, a maioria da elite do país e a população em geral apoiaram uma união com os egípcios, ratificada em fevereiro de 1958.

 

Nasser com Michel Aflaq (esq.) e Salah al-Bitar, que aceitaram dissolver seu partido, o Baath, em benefício da RAU.

 

4 – Depois da aprovação por parte do Parlamento e dos eleitores sírios, Nasser se tornou presidente do novo Estado. Uma nova Constituição foi promulgada e dois vice-presidentes foram designados para cada país. Ainda em 58, o Iêmen do Norte se uniu a RAU, mas não aceitou ceder o governo ao líder egípcio. Mesmo com o início promissor, a partir de 1959 foi percebida uma clara predominância egípcia na união. Burocratas, políticos e militares do Egito passaram a ganhar altos cargos na Síria, em detrimento dos locais. Rapidamente se formou uma oposição contra a aliança chefiada por oficiais das Forças Armadas Sírias. O estilo de governo socialista de Nasser também não agradou muitos setores da elite síria.

 

A atual bandeira da Síria é igual a da extinta República Unida Árabe

 

5 – Para completar a situação, a Jordânia e o Iraque também se uniram em 1958, criando a Federação Árabe. Opositores da República Árabe Unida, esses dois países foram novamente separados em 1960, quando um golpe militar (saiba mais aqui) deu fim à monarquia iraquiana. O Líbano também se mostrou contrário ao projeto de Nasser. A tensão na região aumentou com a chegada de tropas inglesas e americanas para países vizinhos. Em 1961, a crise piorou por falta de apoio dos empresários sírios, por exemplo, que se sentiram prejudicados pelas reformas empreendidas pelo presidente da RAU. Em setembro do mesmo ano, militares sírios lideraram um golpe que ainda aceitava a união, desde que a Síria tivesse maior participação na política e na área militar do Estado. Após a negativa do líder egípcio, foi decretado o fim da República Árabe Unida, que durou apenas 3 anos e meio.

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •