6 curiosidades sobre Nikola Tesla

Conheça mais sobre esse importante cientista e inventor

 

1 – Infância e juventude

Nikola Tesla é conhecido como um dos maiores cientistas e inventores que já viveram. Natural da pequena aldeia de Smiljan, no Império Austríaco (atual Croácia), era de ascendência sérvia. Nascido em 10 de julho de 1856, era o quarto de cinco filhos de pais iletrados, mas que sempre ressaltaram a importância dos estudos. Desde cedo, Tesla treinava a memória e o raciocínio lógico com ajuda do pai. Em 1873 começou a cursar Engenharia Elétrica no Instituto Politécnico de Graz, mas a maioria das fontes afirmam que não se formou.

 

Em 1879, aos 23 anos.

 

2 – Tempos difíceis

Permaneceu em Graz até 1878, quando se mudou para Maribor (na Eslovênia), onde trabalhou como engenheiro assistente. Ele rompeu completamente as relações familiares e com amigos nesta época. Neste período teve um colapso nervoso que o fez voltar para casa por um curto lapso de tempo. Tesla desde criança tinha problemas do tipo, como ver fortes clarões de luz e alucinações visuais. No entanto, rapidamente se recuperou, indo cursar Engenharia Elétrica novamente, desta vez na Universidade Carolina de Praga. Mesmo com estes distúrbios mentais, o cientista sérvio era dotado de memória fotográfica e de pensamento visual, podendo ver claramente em sua mente as invenções e conceitos que queria desenvolver, além de lembrar todo o conteúdo de livros inteiros, por exemplo.

 

Casa onde nasceu Nikola Tesla e estátua na aldeia de Smiljan, Croácia

 

3 – Vida fora do Império Austríaco

Ficou em Praga até 1881, desistindo novamente da faculdade após a morte do pai. Neste mesmo ano se mudou para Budapeste, capital da Hungria, onde trabalhou em uma empresa telefônica. No ano seguinte foi contratado pela “Continental Edison Company”, empresa que o fez morar em Paris. Em 1882 também desenvolveu estudos sobre o campo magnético rotativo, que mais tarde o ajudaria nas suas pesquisas acerca da corrente elétrica alternada. Mudou-se para Nova York em 1884 por convite dos chefões da empresa para qual trabalhava. Neste mesmo ano conheceu Thomas Edison. Com um início brilhante, logo foi crescendo na empresa. Em 1885 disse para Edison que melhoraria todos os motores e geradores da companhia, o que o chefe lhe disse que pagaria 50 mil dólares se Tesla o fizesse.

 

Turbina de Tesla, 1909

 

4 – A Guerra das Correntes

Após vários meses de trabalho árduo, o engenheiro sérvio havia conseguido melhorar os aparelhos da empresa, mas Edison disse que não o pagaria o prometido, só lhe oferecendo um pequeno aumento. Isto fez com que Tesla se demitisse prontamente. Com ajuda de investidores o cientista fundou a “Tesla Eletric Company”, com o intuito de popularizar a corrente alternada ao invés da corrente contínua usada por Thomas Edison. Seu empreendimento e suas finanças estavam a beira da falência até que George Westinghouse comprou a patente da corrente alternada a Tesla. Este fato, junto a influência política do empresário, fez com que a invenção do engenheiro europeu se tornasse padrão na distribuição de energia elétrica.

 

Foto do laboratório de Tesla em Colorado Springs, em 1900

 

5 – Mudanças e ostracismo

Durante a década de 1890 viveu com fama mundial, apresentando seus inventos nos mais importantes locais dos Estados Unidos e Europa. Tesla mostrava muita teatralidade na apresentação das suas obras para as pessoas. Em 1891 se naturalizou norte-americano.No ano de 1896 o cientista patenteou seu modelo de rádio, que mais tarde seria aperfeiçoado por Guglielmo Marconi e valeria um Prêmio Nobel (saiba mais aqui) a este. Em 1899 se mudou para Colorado Springs, onde continuou suas pesquisas com mais espaço para testes. Nesta fase virou um grande amigo do escritor Mark Twain. Ocasionalmente, Nikola Tesla voltou para Nova York, onde foi taxado como “cientista louco” no final da sua vida. Faleceu aos 86 anos em 1943, em relativo esquecimento e absoluta falência financeira. O seu legado está claramente ligado ao seu sistema polifásico de distribuição de energia, modelo usado até os dias atuais. Entre outros inventos estão a lâmpada fluorescente, vários tipos de geradores e transformadores, protótipos de ligações sem fio e um tipo de motor elétrico.

 

Tesla na primeira página da revista Time de 1931

 

6 – Mais curiosidades

É notório que a genialidade de Tesla também teve certos aspectos negativos em sua vida. Ele era portador de transtorno obsessivo-compulsivo, com uma estranha obsessão pelo número 3. Também tinha repulsa a jóias e germes, sendo considerado misofóbico (quem tem fobia a germes e sujeira). Era um celibatário, mesmo que muitas mulheres o quisessem como parceiro. Também tinha gosto por viver no isolamento, mesmo que relatos apontem que em ocasiões sociais sempre se destacava por sua educação refinada e conversa agradável. O cientista também tinha preocupação com o uso excessivo dos recursos terrestres, se tornado vegetariano no fim da vida. Nikola Tesla também pensou na internet wi-fi em uma pesquisa de 1901, mas não tinha os meios de alcançar o que propunha. Com um gerador elétrico causou um tremor de terra no seu bairro em Nova York, pensando que havia criado uma “máquina de terremotos”. Por fim, a unidade de medida de indução eletromagnética foi batizada em sua homenagem como tesla (T).

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •