6 curiosidades sobre Voltaire

Conheça François-Marie Arouet: um dos iluministas mais famosos

 

1 – François-Marie Arouet, mais conhecido por seu pseudônimo Voltaire, foi um importante escritor, filósofo e ensaísta francês. Natural de Paris, nasceu em 21 de novembro de 1694. Nascido em uma família rica, teve uma educação esmerada. Sempre teve uma mente reformadora, o que lhe causou diversos problemas durante a vida. Se consagrou como um dos principais nomes do Iluminismo (saiba mais aqui).

 

2 – Desde jovem foi levado por parentes para festas e encontros da alta sociedade e de artistas e escritores. Era conhecido por se envolver com várias damas da corte. Por conta de suas ações, seu pai apoiou quando ele foi enviado para Haia, na Holanda, para ser secretário da embaixada francesa no país. Por conta de mais um caso amoroso com quem não devia, teve que retornar à França dois anos depois. Foi quando iniciou a escrever com frequência e com o ímpeto pelo qual ficou conhecido.

 

Voltaire jovem!

 

3 – Por conta de seus escritos ácidos e cheios de críticas aos governantes, Voltaire foi preso na Bastilha entre 1717 e 1718. Neste período foi quando assumiu o pseudônimo pelo qual ficaria conhecido. O apelido era um jogo de palavras com o seu nome. Em 1726 teve mais um desentendimento com a nobreza e ficou preso novamente. Libertado após alguns meses, foi exilado na Inglaterra, onde assumiu de vez sua postura crítica ao regime francês, as religiões e de fato se tornou um iluminista.

 

4 – Voltaire escreveu sobre praticamente todos os males que afetavam a sociedade humana da época. Também era um crítico ferrenho do sistema francês, que julgava atrasado e excludente. A Igreja Católica não escapava nos seus textos, assim como os protestantes, judeus e muçulmanos (em menor escala). Voltaire acreditava em uma força superior que havia gerado o universo, mas censurava veementemente as grandes religiões principalmente por tentar impor a fé através de guerras e da lei. Em 1734 publicou seu principal livro, As Cartas Filosóficas, no qual defende o respeito às liberdades civis e a tolerância religiosa.

 

As famosas Cartas Filosóficas (ou Cartas Inglesas)

 

5 – Por conta do livro citado acima, foi novamente perseguido pelo governo francês e se refugiou em um castelo com sua companheira (Marquesa de Châtelet), onde estudaram diversas áreas do conhecimento e Voltaire escreveu vários livros de comédia e crônicas. Só retornou a Paris 12 anos depois, quando conseguiu se tornar membro da Academia Real Francesa. Com a morte da Marquesa em 1749, aceitou o convite de Frederico II da Prússia para ser seu professor de francês.

 

6 – Após viver 4 anos na Prússia, fez mais uma vez graves críticas à nobreza e a protegidos do rei e teve que fugir do reino. Tendo ido viver na Suíça, se destacou em livros históricos. Retornou à França no final da década de 1750, continuou sua escrita crítica e revolucionária em relação aos valores da época. Só retornou a Paris em 1778, quando foi investido maçom e homenageado pela Academia Real e pelo Teatro Francês com um busto. Em maio do mesmo ano veio a falecer aos 83 anos de idade. Voltaire mesmo não sendo um filósofo propriamente dito, foi importantíssimo na inspiração da Revolução Americana e da Revolução Francesa. Ele dialogava com as pessoas da época ao apontar suas crenças e críticas em seus romances, ensaios e crônicas.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •