7 curiosidades sobre as Ilhas Salomão

Conheça mais sobre esse país localizado na Oceania

 

1 – Informações gerais

As Ilhas Salomão são um país-arquipélago localizado na Oceania. Fazendo parte da região chamada Melanésia, tem fronteiras marítimas com Nauru, Papua-Nova Guiné (saiba mais aqui) e Vanuatu. Foi um protetorado britânico até 7 de julho de 1978, data da sua independência.

 

A bandeira nacional das Ilhas Salomão foi oficialmente adoptada a 18 de Novembro de 1977. Os cinco grupos principais de ilhas são representados pelas cinco estrelas. O azul, supostamente representa o oceano circundante, enquanto que o verde representa a terra. A faixa amarela é simbólica da luz solar.

 

2 – Demografia

Com aproximadamente 550 mil habitantes, as Ilhas Salomão têm como capital a cidade de Honiara. A grande maioria da população é de origem melanésia. A grande quantidade de tribos faz com que a grande maioria das pessoas viva na zona rural (mais de 80%). A diversidade tribal apresenta um verdadeiro caos linguístico: existem mais de 70 línguas nativas, o que relega o inglês, língua oficial do país, a ter apenas 2% de falantes nas diversas ilhas locais. Dos idiomas nativos, o pinji é o mais falado. A religião predominante é o cristianismo (90%), contendo cerca de 70% de seguidores de igrejas evangélicas e 20% de católicos.

 

Localização das Ilhas Salomão no mapa múndi

 

3 – Geografia

Com pouco mais de 28 mil km², as Ilhas Salomão são um pouco maiores do que Alagoas. O país é composto por centenas de ilhas, das quais apenas as maiores são habitadas. Dentro do território salomônico há alguns vulcões ativos. No mais, o arquipélago é conhecido por seu clima tropical característico nesta área da Oceania.

 

Guerreiros das Ilhas Salomão, armados com lanças, a bordo de uma canoa de guerra ornamentada (1895).

 

4 – Economia

As Ilhas Salomão são um dos países mais pobres e subdesenvolvidos do mundo. Com um Índice de Desenvolvimento Humano de 0,515, a nação enfrenta sérios problemas socioeconômicos como analfabetismo, mortalidade infantil e baixa renda. Mais de 85% da população trabalha na agricultura de subsistência e no extrativismo. A indústria madeireira, uma das poucas com certo desenvolvimento no país é uma das responsáveis pelo sério desmatamento nas florestas locais. O coco e o cacau são os produtos alimentícios de maior renome no arquipélago. O Dólar das Ilhas Salomão é a moeda nacional. Mesmo com bom potencial turístico, esse setor da economia ainda não é bem explorado pelos governantes e empresários locais.

 

O porta-aviões USS Enterprise (CV-6) sob ataque aéreo durante a Batalha das Ilhas Salomão Orientais .

 

5 – Política

O país faz parte da Commonwealth, grupo de países que ainda considera a rainha Elizabeth II do Reino Unido como sua monarca. Desse modo, há um governador-geral que a representa como chefe de estado. No mais, as Ilhas Salomão são uma república parlamentarista governada por um primeiro-ministro.O Parlamento local é formado por 50 membros eleitos democraticamente a cada quatro anos. O país é subdividido em 11 províncias, sendo Honiara considerada o Distrito Federal.

 

Os fuzileiros navais americanos descansam durante a campanha de 1942 em Guadalcanal .

 

6 – História

Não se sabe muito sobre a pré-história das ilhas, mas achados arqueológicos apontam que já existia comunidades de coletores e caçadores desde 1.000 a.C. Apenas em 1567 exploradores espanhóis “descobriram” o arquipélago. As primeiras levas de missionários chegaram no Século 19, assim como a colonização britânica e alemã. A população local muitas vezes foi levada à força para trabalhar na agricultura em Fiji (saiba mais aqui) e na Austrália. No Século seguinte, altos investimentos foram feitos por britânicos e australianos nas plantações de coco. Durante a Segunda Guerra Mundial, as Ilhas Salomão ficaram no fogo cruzado entre norte-americanos e japoneses. A ilha de Guadalcanal, maior do arquipélago, foi completamente destruída. A partir dos anos 50 os clamores pela independência aumentaram gradativamente, contudo, a emancipação política só veio em 1978. A liberdade não trouxe paz e estabilidade para os salomônicos, muito pelo contrário: foram mais de 25 anos de caos sociopolítico, guerras tribais e pobreza extrema. Uma intervenção internacional ocorreu no início dos Anos 2000 para tentar apaziguar a situação. Atualmente, o país tenta se recuperar das décadas difíceis as quais passou.

 

O Parlamento Nacional das Ilhas Salomão foi um presente dos Estados Unidos.

 

7 – Cultura

O país apresenta grande diversidade cultural pelo grande número de tribos diferentes no seu território. A cultura melanésia é predominante, com grande respeito pela memória dos ancestrais e a disseminação dos costumes tradicionais. Mesmo com a tonalidade de pele negra na maioria da população, aproximadamente 10% dos salomônicos possuem cabelo loiro. Esse fato decorre de uma mutação em um gene nos habitantes locais. O esporte nas Ilhas Salomão não é bem desenvolvido.

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •