7 curiosidades sobre Cabo Verde

Conheça mais sobre esse país da costa africana

 

1 – Informações iniciais

A República de Cabo Verde é um país-arquipélago localizado a cerca de 450 km de distância da costa africana. De colonização portuguesa, conseguiu sua independência da metrópole em 5 de julho de 1975. A primeira colônia europeia na Era dos Descobrimentos, foi um importante local de comércio de escravos e pirataria por alguns séculos.

 

O retângulo azul da bandeira simboliza o mar e o céu que envolvem as ilhas. As faixas, o caminho da construção do país, sendo o branco, a paz que se quer (e se tem conseguido, sendo Cabo Verde um dos países mais pacíficos e uma das democracias mais estáveis da África) e o vermelho, o esforço e a luta. Por último, as estrelas representam as dez ilhas que compõem o arquipélago.

 

2 – Demografia

Com uma população de mais de 500 mil habitantes, o país tem como capital a cidade de Praia,  que conta com aproximadamente ⅕ da população local. A maioria dos cabo-verdianos são descendentes de escravos e africanos livres vindos do continente. Também há uma boa porcentagem de descendentes de europeus (principalmente portugueses). Depois da independência nacional, muitas pessoas migraram para a Europa e Estados Unidos, então, há mais cidadãos de Cabo Verde morando fora do arquipélago do que em seu próprio país. A língua oficial é o português, mas o crioulo cabo-verdiano é falado nacionalmente, tendo uma variação em cada ilha. No quesito religioso, 95% dos indivíduos se dizem cristãos (85% católicos e 10% protestantes).

 

Localização da República de Cabo Verde no mapa múndi.

 

3 – Geografia

Cabo Verde é um arquipélago formado por conta de atividades vulcânicas. Ao todo são 10 ilhas – 9 habitadas e 1 desabitada – e vários ilhéus inabitados. Há um vulcão ativo (Pico do Fogo) localizado na Ilha do Fogo, que também é o ponto mais alto do país, com 2.829 m. No total, o território cabo-verdiano possui pouco mais de 4 mil km², o que o torna um dos menores países do mundo. Com um clima de árido a semiárido, o país mantém uma temperatura estável anualmente, o que atrai muitos turistas. Há diversas salinas e locais montanhosos. A nação também é bombardeada por fortes ventanias vindas do Oceano e do Saara.

 

Igreja Nossa Senhora do Rosário, construída em 1495, a mais antiga igreja colonial do mundo, na Cidade Velha, na Ilha de Santiago.

 

4 – Economia

Com uma moeda chamada Escudo cabo-verdiano, a economia do país sofre com os poucos recursos naturais e pequeno tamanho das ilhas. Com um solo árido, a população local ainda consegue plantar certos vegetais. No entanto, a força de Cabo Verde está na pesca, no setor de serviços e no crescente turismo. O Índice de Desenvolvimento Humano do arquipélago é de 0,648, ainda baixo, mas maior do que a maioria dos países africanos. Muito dinheiro é enviado pelos cabo-verdianos que residem em outros países. Se levarmos em conta os últimos anos, a tendência é que o país se desenvolva mais ainda.

 

Aristides Pereira, primeiro presidente.

 

5 – Política

Um dos países mais democráticos do mundo, tem uma conjuntura política estável há muitos anos. É uma república semipresidencialista, onde o presidente é eleito pelo povo e representa Cabo Verde no exterior e em encontros diplomáticos. No entanto, quem governa de fato é o primeiro-ministro, indicado após aprovação da Assembleia Nacional. Esta última possui 72 membros eleitos para mandatos de cinco anos de duração. O país é dividido em 22 concelhos (com “C” mesmo) distribuídos entre as 9 ilhas habitadas dos arquipélago.

 

Pico do Fogo, o ponto mais elevado do arquipélago, com 2 829 metros, na Ilha do Fogo

 

6 – História

Na segunda metade do Século 15, navegadores portugueses descobriram o arquipélago, então desabitado. Por sua localização privilegiada no Oceano Atlântico, a ilha de Santiago logo foi habitada, tornando-se a primeira colônia europeia no Hemisfério Sul. No Século 16, com a proximidade da Costa de Guiné, um dos principais locais de tráfico de escravos, Cabo Verde se tornou uma rica colônia. Até o Século 19, foi um importante porto para os portugueses, mas após o fim da escravatura, o local entrou em rápida decadência. Empobrecidos e abandonados por Portugal, os habitantes cabo-verdianos começaram a reivindicar melhor atenção. A construção da independência foi gradual, com a criação de um partido conjunto entre políticos de Cabo Verde e Guiné Bissau. A pressão durou mais de 20 anos, até que em julho de 1975, a emancipação política cabo-verdiana foi conseguida. Após mais de 15 anos com um regime unipartidário, a nação realizou eleições pluripartidárias em 1991, mantendo este status até os dias atuais.

 

Crescimento populacional de Cabo Verde entre 1961 e 2003.

 

7 – Cultura

A música é o principal destaque cultural cabo-verdiano. O país possui três estilos musicais próprios: o funaná, a morna e a coladeira. A cantora Cesária Évora se tornou mundialmente conhecida, levando o nome de Cabo Verde para vários países em suas apresentações. O Carnaval local também é conhecido por ser singular e muito animado. A culinária é baseada nos pescados e em alguns vegetais presentes o ano todo no arquipélago. A cachupa é um prato tradicional das ilhas, sendo composto por milho, feijão e carne bovina ou peixe. Em relação aos esportes, Cabo Verde demonstra franca evolução no basquete e no futebol. Neste primeiro, chegou a ter um jogador atuando na NBA, principal liga de basquete do mundo. Passou a participar das Olimpíadas em 1996, mas nunca conseguiu medalhas.

 

Prédios comerciais em Praia.
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •