7 curiosidades sobre o Kosovo

Conheça mais sobre esse interessante país europeu

 

1 – A República do Kosovo é um território independente de fato, mas não reconhecido ainda como um país soberano (saiba mais aqui). Tendo declarado sua independência em 17 de fevereiro de 2008 em relação à Sérvia, essa nação só tem o reconhecimento de cerca de 57% dos países membros da ONU. Principalmente por conta da negativa da Rússia, aliada histórica dos sérvios, os kosovares ainda têm reconhecimento limitado. O Brasil ainda não reconhece o Kosovo como um Estado independente.

 

Bandeira do Kosovo

 

2 – Com aproximadamente 10.000 km², o país faz fronteira com a Sérvia, a Albânia, Montenegro e a Macedônia. Tem quase 2 milhões de habitantes, sendo 200 mil moradores de Pristina, capital e principal cidade kosovar. Outra cidade que merece destaque é Prizren, que conta com uma população de mais de 100 mil pessoas. Mesmo sendo uma nação com quase 40% de cobertura florestal, o Kosovo só tem apenas um parque nacional de conservação ambiental. O clima costuma ter verões muito quentes e invernos bem frios.

 

Localização do país na Europa

 

3 – A maioria dos kosovares são de origem albanesa (cerca de 90%), 5% de sérvios, e 5% de outras etnias. Com a independência, é notada uma saída de habitantes sérvios do país. As línguas oficiais são o albanês e o sérvio, mas a maioria da população fala um dialeto chamado albanês gheg. Também há falantes do turco na região. A principal religião praticada no Kosovo é a muçulmana. Há relevantes minorias de católicos e seguidores da Igreja Ortodoxa Sérvia.

 

Pristina, capital do Kosovo

 

4 – A economia do país está em crescimento nos últimos anos. O Índice de Desenvolvimento Humano aumentou e a desigualdade e a pobreza diminuíram. No entanto, o Kosovo ainda é considerado um país pobre para o padrão europeu. O Euro (saiba mais aqui) é a moeda oficial do território. A terra é boa para a agricultura, mas tanto essa atividade, quanto a indústria, são pouco desenvolvidas para exportação. Mais de 10% do PIB do país é advindo de remessas de dinheiro enviadas por kosovares que moram no exterior, o que demonstra a fragilidade do setor econômico dessa nação.

 

Vista aérea da cidade de Prizren, segunda maior da nação

 

5 – O Kosovo é uma República Parlamentarista multipartidária. Há basicamente 3 partidos fortes e mais 3 que conseguem algumas cadeiras no Parlamento kosovar. A Assembleia possui 120 membros eleitos, dos quais 100 são escolhidos diretamente pela população e 20 vêm das minorias étnicas do país. O Primeiro-Ministro é o governante de fato. Um presidente eleito pelos parlamentares faz o papel de chefe de Estado, representando a nação em eventos diplomáticos e afins.

 

Uma das belezas naturais do Kosovo

 

6 – Antiga parte do Império Sérvio, o Kosovo fez parte do Império Otomano entre 1389 e 1912. Quando a Sérvia conseguiu sua independência dos otomanos, o território permaneceu ligado a esta. Com o surgimento da Iugoslávia após a Segunda Guerra Mundial, a nação se tornou uma região autônoma deste país, e ficou assim até os anos 90, quando um forte movimento separatista surgiu, chamado Exército de Libertação do Kosovo (ELK). Uma guerra eclodiu na região entre 1996 e 1999. O presidente iugoslavo Slobodan Milosevic liderou um massacre dos albaneses da região, causando uma grave crise humanitária. Forças da OTAN e da ONU intervieram no local e em pouco tempo conseguiram um acordo entre kosovares e sérvios. Desde 1999 uma missão permanente da ONU ajuda a administrar esta pequena nação. Até 2008 a região ainda fazia parte de fato da Sérvia, mas após uma votação unânime do Parlamento kosovar, o país se separou. Até hoje o Kosovo não é reconhecido oficialmente muito por causa da pressão russa, chinesa e sérvia para a não aceitação da sua independência.

 

Hoje o Kosovo comemora 10 anos de independência da Sérvia

 

7 – Em relação à cultura kosovar, há uma forte presença da música albanesa e seus instrumentos típicos na região. A produção de vinhos também é uma tradição no Kosovo. Em 2016, nas Olimpíadas dos Rio de Janeiro, a judoca Majlinda Kelmendi venceu a categoria -52 kg do judô e se tornou a primeira medalhista olímpica do país. A federação de futebol local se associou recentemente com a FIFA e já está participando de competições europeias entre seleções.

  • 7
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •