7 fatos sobre Leonardo da Vinci

Conheça mais sobre um dos principais nomes do Renascimento

 

1 – Nascido em 15 de abril de 1452, Leonardo da Vinci foi uma das mentes mais brilhantes que passou por esse mundo e um dos principais nomes do Renascimento. Sua inteligência e talento permitiram que ele se destacasse nas artes, na ciência e na engenharia. Filho ilegítimo de um tabelião de família nobre e de uma camponesa adolescente, era natural de uma pequena aldeia próxima a Florença. Por não poder receber o sobrenome do seu pai, trocou o de Vinci de seu nome para da Vinci, local que seus familiares paternos eram senhores.

 

Possível casa de infância de Leonardo, em Anchiano.

 

2 – Até os 5 anos viveu ao lado da mãe no pequeno vilarejo em que tinha nascido. Com o casamento dela, foi acolhido na casa do pai, onde conheceu sua madrasta e seu avô paterno, a quem tinha grande admiração. Sua família mudou-se para Florença, onde da Vinci se tornou aprendiz do pintor Andrea del Verrocchio. Nesta época, ainda era um adolescente, mas já mostrava grande inteligência. Com apenas 20 anos já era conhecido na cidade, além de fazer parte da associação dos pintores florentinos.

 

Estudo de um cavalo, dos diários de Leonardo — Royal Library, Castelo de Windsor

 

3 – A partir de 1476 saiu do ateliê de Verrocchio para seguir sua própria carreira. No início, fazia mais trabalhos em igrejas e capelas. Em 1481 foi para Milão, onde também demonstrou seu talento musical. Inicialmente da Vinci foi enviado por Lourenço Médici, senhor de Florença, para selar a paz com Ludovico Sforza, Duque de Milão. Viveu e trabalhou na região milanesa até 1499. Uma de suas obras mais conhecidas, A Última Ceia, foi pintada nesse período, servindo como afresco para um mosteiro local.

 

Leonardo pintou A Última Ceia, um incrível trabalho, o mais sereno e distante do mundo temporal, durante anos caracterizado por conflitos armados, intrigas, preocupações e emergências. Ele a declarou como concluída, embora eternamente insatisfeito, e continuou trabalhando nela. Foi exposta a vista de todos e contemplada por muitos. Desde então ele foi considerado sem discussão como um dos primeiros mestres da Itália, senão o primeiro.

4 – De volta a Florença após a invasão francesa de Milão, da Vinci foi recebido com muita festa pelos habitantes da cidade. Por um ano trabalhou para César Bórgia, filho do papa Alexandre VI. Era arquiteto e engenheiro militar do nobre italiano. Em 1506 para os territórios milaneses, desta vez sob controle da França. Em 1507 conclui a obra mais conhecida da humanidade, provavelmente, Monna Lisa. Até 1512 foi empregado da corte francesa.

 

Datado do ano 1490, um estudo das proporções humanas baseado no tratado recém-redescoberto do arquiteto romano Vitrúvio. Leonardo debruçou-se sobre o que foi chamado o Homem Vitruviano, o que acabou se tornando um dos seus trabalhos mais famosos e um símbolo do espírito renascentista. O desenho reproduz a anatomia humana.

 

5 – Com a derrocada dos franceses em Milão, da Vinci volta a trabalhar para os Médici, mas desta vez para o Papa Leão X, membro da tradicional família de Florença. Em Roma, viveu até 1516. Neste ano, foi convidado a trabalhar para o rei da França, Francisco I. Se mudou para o Castelo de Cloux, nos Alpes Franceses, mas já não tinha mais condições para pintar. Faleceu em 1519, aos 67 anos de idade.

 

Mona Lisa (1503–1507 — Louvre) é o retrato que mais tem rendido, em termos de literatura — tem dado origem a contos, romances, poemas e até mesmo óperas (e paródia) desde seu tempo, como a Monna Vanna de Salai — em toda a história da arte. Foi uma obra famosa desde o momento da sua criação; e inspirou muitos, como o jovem Rafael, que se embebedou nela. Seu sorriso sutil é visto em sua crueldade e tem sido considerado o implacável sorriso de mulher que escraviza os homens. Outros foram deslumbrados pelo seu encanto, pela sua doçura. Para o crítico Walter Pater, simboliza o “espírito moderno com todos os seus traços patogênicos”considerando como a “beleza extraída desde o interior, trabalhando a carne, célula por célula”.

6 – Nos parágrafos anteriores apresentamos a vida de da Vinci, no entanto, suas contribuições foram muito além da pintura e da arquitetura. Ele foi um dos precursores do estudo da anatomia, dissecando cadáveres e até fetos, para entender o funcionamento do corpo humano. Por isso, foi perseguido em alguns momentos da vida. Foi um grande naturalista, estudioso de diversas espécies animais e da flora. Mesmo naquela época era vegetariano. Fez esboço de máquinas voadoras e também de precursoras dos robôs. Inventou e aprimorou instrumentos musicais, canhões e materiais hidraúlicos.

 

Modelos de máquinas voadoras planejados por Leonardo

7 – Infelizmente, da Vinci tinha o hábito de deixar seus desenhos e pinturas inacabados. Não se sabe ao certo o porquê, mas diziam que ele preferia o processo ao resultado. Centenas de suas obras artísticas e científicas foram encontradas em esboços e diários, mas nunca se tornaram realidade. O legado do gênio florentino é gigantesco, sendo considerado um dos líderes do Renascimento e uma das mentes mais brilhantes da história da humanidade.

  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •