7 fatos sobre a Reforma Protestante

Conheça mais sobre esse importante movimento no aniversário de 500 anos do seu início

 

1 – Em 31 de outubro de 1517, Martinho Lutero (Martin Luther em alemão) afixou suas 95 Teses em uma Igreja de Wittenberg, onde era monge e professor universitário. Esse ato marcou o início da Reforma Protestante, que está completando 500 anos hoje. O movimento que causou uma separação entre os cristãos europeus, marcou o mundo a partir do século 16. Atualmente é notado um crescimento das igrejas protestantes neopentecostais no Brasil e no planeta como um todo.

 

Martinho Lutero

 

2 – O protesto de Lutero criticava vários dogmas da Igreja Católica e a venda de indulgências (perdão total ou parcial dos pecados cometidos), propondo uma reforma do catolicismo. O texto afixado em igrejas e enviado para um bispo era uma chamada para um debate com um vendedor de indulgências que estava na região. Entre 1518 e 1521 Lutero foi chamado pelo Vaticano para depor, mas negou sua presença, fazendo com que fosse excomungado e declarado um fora-da-lei pelo Imperador do Sacro Império Romano-Germânico

 

3 – Das Teses de Lutero surgiram os Cinco Solas (Cinco Somentes), que são princípios fundamentais das igrejas reformadas que surgiram nesse período. Cada um traz pensamentos teológicos contrastantes aos da Igreja católica. Estes são: somente a fé, somente a Escritura, somente Cristo, somente a graça e glória somente a Deus.

 

4 – Além da Alemanha, alguns anos depois surgiram movimentos reformistas na França, Suíça e Inglaterra. Nos dois primeiros países teve destaque a figura de João Calvino (Jehan Cauvin em francês), que se tornou líder religioso protestante no seu país de origem e após ter dissidências com os reformados franceses, se tornou um grande nome teológico na Suíça. Se destaca também no território suíço o nome de Ulrico Zuínglio (Ulrich Zwingli em alemão) que foi o predecessor e fundador de algumas igrejas durante a Reforma.

 

João Calvino

 

5 – Na Inglaterra, o rei Henrique VIII por razões políticas e pessoais iniciou a Reforma Inglesa após o Papa ter negado sua anulação de casamento com Catarina de Aragão. Com a negativa, o monarca britânico anunciou a separação da Igreja Católica da Igreja inglesa em 1531, sendo oficialmente aprovada em 1534. Dessa forma surgiu a Igreja Anglicana, que mesmo sendo considerado protestante, mantém muitos ritos e sacramentos do catolicismo.

 

Henrique VIII

 

6 – Com o surgimento destas 3 vertentes teológicas protestantes, em pouco tempo a Reforma ganhou a Europa, tanto por razões religiosas quanto políticas. Por exemplo, muito do crescimento dos ensinamentos e dos seguidores de Lutero na Alemanha se deu pelo apoio dos nobres alemães que não queriam mais pagar tributos à Igreja Católica e ao imperador do Sacro Império Romano-Germânico. Mesmo a Europa tendo permanecido majoritariamente católica, o Vaticano sofreu grandes perdas religiosas: Alemanha e países nórdicos se tornaram luteranos, Suíça, Países Baixos, Escócia e algumas partes da França calvinistas e a Inglaterra se converteu ao Anglicanismo.

 

7 – Vendo o grande crescimento protestante, a Igreja Católica mais alguns monarcas europeus resolveu lançar a Contrarreforma. Iniciada em 1545 após o Concílio de Trento. Os jesuítas e a ideia de catequizar os povos nativos nas Américas e na Ásia surgiu nesse encontro. Os católicos conseguiram recuperar o domínio religioso de uma série de territórios, principalmente na França, Alemanha e Áustria. Ainda houve grandes confrontos entre católicos e protestantes nos anos seguintes, havendo uma série de massacres.

 

Mapa religioso da Europa no final do século 16. Fonte: http://www.notapositiva.com/old/pt/apntestbs/historia/imagens/08_expansao_mudanca_sec_xv_xvi_12_d.jpg
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •