8 curiosidades sobre Vlad, o Empalador

Conheça o que inspirou na criação da lenda do vampiro mais famoso no mundo

 

1 – Vlad III, Vlad Tepes, Vlad III Dracul ou (Draculea), mais conhecido como Vlad, o Empalador foi um príncipe romeno nascido em 8 de novembro de 1431. Este monarca da Valáquia (uma histórica região da Romênia que era vassala da Hungria na época) inspirou a criação da lenda do Conde Drácula, o vampiro mais famoso no mundo.

 

2 – A Transilvânia, lugar onde Drácula mora nos contos foi onde Vlad nasceu durante uma campanha militar do seu pai. Segundo filho de Vlad II Dracul (Dragão em romeno), membro da Ordem do Dragão, uma ordem militar criada no Sacro Império Romano-Germânico. Quando tinha 5 anos de idade seu pai tomou o controle da Valáquia após uma guerra civil. À época, a Valáquia estava nos planos do Reino da Hungria e do Império Otomano, potências militares no período.

 

Reprodução de como seria Vlad, o Empalador

 

 

3 – Expulso pelos húngaros, Vlad II retomou seu reino com o apoio dos turcos, mas foi forçado a pagar tributos e teve que enviar seus dois filhos mais jovens como reféns. Vlad, o Empalador ficou 4 anos sob o jugo dos otomanos. Ele retornou para a Valáquia após o seu pai e seu irmão mais velho serem assassinados pelo príncipe da Transilvânia, João Corvino.

 

4 – Assumiu o trono em 1448 com ajuda dos turcos, mas ficou apenas 2 meses no poder, sendo expulso por Corvino e conseguindo asilo com seu primo, o príncipe da Moldávia. 3 anos depois teve que pedir ajuda ao chefe da Transilvânia, seu grande inimigo, após uma crise decorrente da morte do seu primo. Esperou o tempo certo para retomar seu reino. Quando Corvino morreu após uma batalha contra os turcos em 1456, Vlad derrotou o “príncipe-fantoche” Vladislav II que comandava a Valáquia e conseguiu de volta o território.

 

Os famosos empalamentos realizados por Vlad

 

5 – Estabeleceu sua capital em Targoviste e durante 1456 e 1462 reinou a Valáquia ininterruptamente. Nesse período que ficou conhecido por sua crueldade e bravura. Sua punição favorita para traidores e inimigos capturados era empalar (enfiar uma estaca de madeira em uma pessoa e deixá-la pendurada), causando uma tortura insuportável e consequente morte em agonia. Também é dito que ele drenava o sangue dessas pessoas pelo pescoço. Provavelmente sua fama como vampiro advém desse fato, mesmo que esse ser fantástico não esteja presente na cultura romena antiga.

 

6 – Seu reinado marcou uma grande resistência contra o avanço dos turcos, que haviam dominado a importante cidade cristã de Constantinopla (atual Istambul), causando uma crise nos reinos cristãos da região. Vlad conseguiu resistir bravamente contra as investidas otomanas, mesmo sem o apoio do seu senhor, o rei da Hungria Matias Corvino (filho do seu desafeto João Corvino). Ao contrário do que se pensa, O Empalador é considerado um herói nacional na Romênia, como símbolo da resistência e da coragem.

 

 

A história do nobre romeno inspirou a criação do Drácula

 

7 – Ao finalmente ser derrotado pelos turcos em 1462, pediu ajuda a Matias Corvino, que fez o oposto: o deixou preso por 12 anos. Mesmo sendo prisioneiro conseguiu se casar com uma nobre da monarquia húngara e teve filhos no cativeiro. Libertado, entrou em mais uma guerra para reconquistar a Valáquia com a ajuda dos húngaros, romenos e moldavos. Retomou o controle do seu reino em 1476, mas ficou pouco tempo no trono. Seus reforços húngaros haviam retornado e um grande exército turco atacou a Valáquia. Vlad foi morto em batalha – outra teoria diz que foi morto por traidores – , decapitado e sua cabeça enviada para Constantinopla, onde ficou em exposição por vários dias.

 

8 – A lenda sobre Vlad, o Empalador inspirou a criação do vampiro mais famoso da cultura mundial, Conde Drácula. Após a sua morte, sua fama de cruel e corajoso se espalhou pela Europa. Em 1897, Bram Stoker publicou Drácula e criou a fama do ser sugador de sangue que vivia em um castelo isolado na Transilvânia.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •