Cidades menos populosas de Pernambuco

Conheça curiosidades das menores cidades de Pernambuco

 

Por Audálio Machado

 

Semana passada falamos sobre os maiores municípios pernambucanos em termos populacionais. Hoje faremos o caminho oposto: as cidades com menos habitantes no território de Pernambuco. Serão destacados os locais com menos de 10 mil habitantes, com dados atualizados do IBGE até 2016. Confira abaixo a lista, que contém 16 cidades.

 

Verdejante: população: 9.471. Se tornou município em 1958, mas apenas em 1962 conseguiu efetivar essa mudança. Se localiza na fronteira com o estado do Ceará. Sua economia é baseada na agricultura. O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é de 0,605, sendo considerado médio.

 

Brejão: população: 8.980. Fundada em 1908, se tornou cidade apenas em 1958, quando se separou de Garanhuns. Hoje em dia se destaca na agricultura familiar e na pecuária, mas antigamente era um dos maiores polos da cafeicultura no estado. O IDH é de 0,547, ou seja, baixo.

 

Camutanga: população: 8.472. Foi emancipado em 1963 e faz parte da Zona da Mata Norte. Está localizado na fronteira com o estado da Paraíba. A economia também é baseada na agricultura. O Índice de Desenvolvimento Humano é de 0,606.

 

Tuparetama: população:8.159. Fundada em 1938, tornou-se cidade em 1958 (a instalação administrativa só aconteceu 4 anos depois). Fica situada no Sertão do Pajeú, na fronteira com a Paraíba. Tem uma certa tradição cultural. Possui um IDH médio (0,634).

 

Foto da Igreja Matriz de Tuparetama

 

Palmeirina: população: 7.864. Virou município em 1948. Até então havia sido distrito de Canhotinho e Angelim. Sua economia é baseada na agricultura e pecuária leiteira. O Índice de Desenvolvimento Humano da localidade é igual a 0,549.

 

Ibirajuba: população: 7.730. Foi elevado a município em 1963, mas a instalação da sede administrativa só ocorreu no ano seguinte. Como a maioria das cidades desse porte, a base da economia é a agricultura. O IDH é de 0,580.

 

Vertente do Lério: população: 7.693. Uma cidade jovem, só separada em 1991 de Surubim. A extração de calcário é a principal atividade econômica dessa localidade. Um dado interessante: segundo o IBGE o número de habitantes de Vertente do Lério diminuiu entre 2010 e 2016. O IDH é de 0,563, de nível baixo.

 

Brejinho: população: 7.464. Fundado em 1962, se tornou município apenas um ano depois. Fica na fronteira com a Paraíba, no Sertão do Pajeú. Economicamente, a agricultura é o destaque, com a plantação de diversos produtos em pequena escala. O Índice de Desenvolvimento Humano totaliza 0,575.

 

Vista aérea de Brejinho

 

Granito: população: 7.363. Uma cidade antiga, tendo conseguido a denominação de vila em 1863, foi emancipada em 1909, mas alguns anos depois regrediu para distrito de Bodocó. Só conseguiu sua elevação municipal definitiva em 1963. O nome do local veio da grande quantidade de granito que se encontra em seu território. O IDH é igual a 0,595.

 

Terezinha: população: 7.089. Se separou de Bom Conselho em 1963, com a instalação do município ocorrendo no ano seguinte. Fica localizado no Agreste Pernambucano. Como a maioria dos centros municipais desse porte, a base da economia é a agricultura. Possui IDH de 0,545.

 

Quixaba: população: 6.812. Mais uma cidade localizada no Sertão do Pajeú, foi desmembrada de Carnaíba em 1991, alcançado a qualidade de município. Faz fronteira com a Paraíba. No âmbito econômico, o destaque fica para a agricultura e a pecuária. Tem IDH de 0,577.

 

Solidão: população: 5.964. Tornou-se município em 1963, com a instalação da sede ocorrendo alguns meses depois. Fica no limite entre Pernambuco e a Paraíba, sendo localizado no Sertão do Pajeú. O Índice de Desenvolvimento Humano municipal é de 0,585.

 

Vista aérea da cidade de Solidão

 

Calumbi: população: 5.741. Se emancipou politicamente em 1963, ao se separar de Flores. Se destaca na cidade a cultura de algodão e banana. Possui um IDH de 0,571, considerado baixo para os padrões mundiais.

 

Itacuruba: população: 4.807. Foi distrito de Floresta e Belém de São Francisco antes de se tornar município em 1963. Fica localizado no Sertão do São Francisco e faz fronteira com o estado da Bahia. Possui o comércio e os serviços como área mais forte da sua economia, muito graças ao turismo vinculado ao Rio São Francisco. A cidade também foi selecionada para receber uma Usina Nuclear, mas até agora nada foi feito. O IDH é de 0,595.

 

Ingazeira: população: 4.549. Uma povoação muito antiga, foi elevada a município em 1852, no entanto em 1909 perdeu esse posto. Antes de voltar a ser uma cidade autônoma, em 1963, foi distrito de Afogados da Ingazeira e Tabira. O Índice de Desenvolvimento Humano municipal é de 0,608, sendo considerado mediano.

 

Fernando de Noronha: população: 2.974. É um território pertencente a Pernambuco desde 1988, após alguns anos como Território Federal. É um dos principais polos turísticos brasileiros, devido às belezas naturais e à prática de esportes de aventura. Possui diversos vilarejos na maior ilha do arquipélago, porém, a maior povoação se chama Vila dos Remédios. O IDH é de 0,788, considerado alto.

 

Um dos povoamentos de Fernando de Noronha

 

Referências

 

http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/uf.php?lang=&coduf=26&search=pernambuco

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •