Descoberta da Pedra de Roseta

O fim de um mistério milenar

 

No dia 19 de julho de 1799 mais um grande mistério começava a ser desvendado: o exército de Napoleão Bonaparte encontrava na cidade de Roseta (Rashid em árabe), no Egito, uma enorme pedra negra contendo escritos em três línguas diferentes. Mas o que isso tem de tão importante? Bem, a partir da descoberta deste antigo bloco rochoso, foi possível desvendar a escrita dos antigos egípcios, os famosos hieróglifos.

Antes da descoberta da pedra, por volta de 2 mil anos a antiga linguagem egípcia foi considerada morta. Com a influência de outros povos, a forma de escrever foi sendo modificada gradualmente no Egito, e por volta de 600 a.C. a escrita hieroglífica foi substituída pelo demótico. Após isso, as dominações de vários povos sobre os egípcios, fez com que se chegasse no último estágio do idioma egípcio, o copta. Por fim, a interferência do cristianismo e do islamismo, desencadeou um processo de esquecimento da língua egípcia que levou à extinção da mesma por volta do século 17. Hoje em dia, o Egito fala o árabe.

 

PARÊNTESES: A língua egípcia passou por diversas evoluções durante a longa história deste Império da antiguidade, mas três formas ficaram mais conhecidas: o egípcio médio, o demótico e o copta. O primeiro é conhecido pelo desenvolvimento dos hieróglifos, que foram a escrita egípcia por aproximadamente mil anos. O demótico durou por mais de 500 anos e era uma evolução da escrita dos hieróglifos. Por fim, o copta surgiu da vasta influência grega e romana sobre o Egito e foi a última língua que se originou neste país, sendo extinta já na Idade Moderna.

 

A descoberta da Pedra de Roseta proporcionou a oportunidade dos estudiosos conseguirem decifrar os hieróglifos, pois na época não havia perspectiva nenhuma de tradução daquela linguagem. A Pedra na verdade era um decreto do Rei e Faraó Ptolomeu V, datado de 196 a.C., e continha o mesmo texto em três tipos de escrita diferentes: hieróglifos, demótico e grego. Com a presença dos outros idiomas, foi possível desvendar a linguagem que havia sido perdida há quase 2 mil anos e a Ciência conseguiu entender um pouco mais da vida dos antigos egípcios.

 

 

Em 1802, com a vitória britânica sobre os franceses, o artefato (que pesa mais ou menos 750 quilos) foi encaminhado ao Museu Britânico, onde está exposto até hoje em dia e é uma das peças mais visitadas do acervo. Após a descoberta da Pedra de Roseta foram encontrados novos objetos que ajudaram a revelar ainda mais sobre o Egito Antigo e sua cultura. Porém, a importância da Pedra continua sendo enorme para a Arqueologia e a História em geral.

 

Página da Pedra de Roseta no site do Museu Britânico

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •