Extinção do Tigre-de-bali

Saiba como este grande felino foi extinto por conta da ação predatória do homem

 

No dia 27 de setembro de 1937 foi morto o último exemplar do tigre-de-bali (Panthera tigris balica), uma subespécie do tigre que habitava a ilha de Bali, na Indonésia. Foi a primeira variedade deste tipo de felino a desaparecer da Terra e antecedeu as extinções do tigre-do-cáspio e do tigre-de-java. Se classifica como mais um tipo de animal que foi extinto por conta da ação humana.

 

A subespécie de tigre vivia na ilha de Bali (circulada em vermelho)

 

Bali é uma pequena ilha que faz parte do arquipélago indonésio e por isso o tigre-de-bali se adaptou aos poucos recursos alimentares e era considerado a menor subespécie dos tigres modernos. Os machos pesavam no máximo 100 kgs e 2,2 m de comprimento, enquanto as fêmeas entre 60 e 80 kgs e 2m de comprimento. Muito provavelmente nunca estiveram presentes em grandes populações historicamente, o que ajudou ainda mais na sua extinção. Se alimentavam basicamente dos mamíferos de grande e médio porte da ilha, além de consumirem alguns tipos de lagarto.

 

O último exemplar morto foi uma fêmea adulta, abatida na região de Sumbar Kima. A caça excessiva por esporte, aumento das áreas de cultivo e proteção de rebanhos foram as causas do fim desta espécie. Mais um clichê nos danos à natureza e sua fauna. Não haviam tigres-de-bali em cativeiro, portanto não se pôde fazer nada para reimplantar espécimes em áreas protegidas.

 

A rápida colonização e expansão da agropecuária foram fatores cruciais para a rápida extinção do tigre-de-bali

 

Cientistas também têm poucas informações sobre esta subespécie de tigre, mas sabe-se que era parente mais próximo do tigre-de-java (também extinto). O tigre-do-cáspio também foi extinto por volta dos anos 60 ou 70. É preciso alertar que todas as espécies de tigre ainda existentes correm sérios riscos de extinção pelas mesmas razões apontadas acima. Uma notícia animadora: alguns pesquisadores pensam em reintroduzir os tigres-do-cáspio graças aos avanços em genética e ao parentesco próximo entre eles e os tigres-siberianos da Rússia. Esperamos que este projeto seja bem-sucedido.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •