Independência do Azerbaijão

Descubra curiosidades e fatos deste interessante país

 

O dia 30 de agosto de 1991 marcou a separação do Azerbaijão da União Soviética, que só foi reconhecida em outubro do mesmo ano. O país fica na zona de transição entre o leste europeu e a Ásia, fazendo fronteira com Armênia, Geórgia, Irã e Rússia. O Mar Cáspio banha o lado leste da nação. Vamos conhecer um pouco mais desse interessante lugar.

 

Vista aérea de Baku, capital do Azerbaijão

 

A Capital azerbaijana se chama Baku, e também é de forma disparada a maior cidade do país. No total há aproximadamente 9,5 milhões de habitantes no Azerbaijão, com 95% deles sendo da etnia azeri, de origem turca. A língua falada também é o azeri. Mais de 90% da população é muçulmana xiita. A outra religião que tem um bom número de adeptos é a cristã ortodoxa. Uma província chamada Nakhitchevan é separada do restante do país pela Armênia, e possui uma maior autonomia. Além disso, há um território chamado Nagorno-Karabakh (saiba mais aqui), com população majoritariamente armênia, que tenta se separar do Azerbaijão há muitos anos, tendo ocorrido até conflitos armados nos anos 90.

 

O atual território azeri já passou pelas mãos de diversos impérios e reinos durante a história, mas as dominações persas e turcas foram as mais relevantes para a formação da etnia e língua azerbaijanas. Em 1918, com a dissolução do Império Turco-Otomano, o Azerbaijão conseguiu a independência pela primeira vez, mas apenas 2 anos depois a União Soviética anexou seu território. Somente após 71 anos o país conseguiu sua independência definitiva, promulgando uma Constituição em 1995.

 

Mapa do Azerbaijão

Economicamente, o Azerbaijão se sai melhor do que a maioria dos países vizinhos e as ex-repúblicas soviéticas próximas. Também pode-se ressaltar que o país tem um histórico de tolerância religiosa. Mesmo a maioria da população sendo xiita, tanto as pessoas, quanto a legislação nacional são favoráveis a uma convivência pacífica entre seguidores de diferentes crenças. Contudo, deve-se destacar que a política azeri é conturbada. A corrupção é enraizada no Estado, além de haver um partido dominante, que está no poder há vários anos. Atualmente, uma família domina o governo central azerbaijano, tendo marido e mulher como presidente e vice, respectivamente.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •