Independência do Uruguai

Saiba como nosso vizinho conseguiu sua independência

 

O dia 25 de agosto de 1825 marca a independência do Uruguai do então Império do Brasil. O país havia sido motivo de grandes disputas entre portugueses e espanhóis durante a colonização e era uma área de transição entre as províncias do sul do território brasileiro e o norte da Argentina. Vamos conhecer um pouco mais desta história.

 

O estabelecimento das primeiras povoações no Uruguai se iniciou por volta de 1530. No entanto, apenas com a introdução da pecuária na região, no século 17, que a província espanhola começou a se desenvolver. Nesse período, os portugueses também estabeleceram vilas e povoados em terras uruguaias, motivados pelos grandes campos para a criação de gado e a agricultura. Até o início do século 19 as disputas territoriais continuariam.

 

Na primeira década de 1800 os ingleses ocuparam Montevidéu, e logo após o Uruguai (ainda como parte das Províncias Unidas do Rio da Prata) passou por uma tentativa de independência liderada por José Gervasio Artigas. Os autonomistas ainda tomaram o país por alguns anos, mas tropas brasileiras/portuguesas e espanholas não permitiram o sucesso dessa revolução. A partir de 1816, a coroa portuguesa enviou uma ofensiva visando dominar o Uruguai. Em 1817, com a invasão bem-sucedida, o território uruguaio se tornou a Província Cisplatina.

 

Bandeira da Província Cisplatina durante a dominação portuguesa e brasileira

 

Essa situação perdurou até 1825, quando uruguaios com o apoio do governo argentino invadiram e reivindicaram o país, declarando sua independência do Império Brasileiro (estabelecido em 1822). Se destacaram Juan Antonio Lavalleja e Fructuoso Rivera na liderança do movimento. Oficialmente, o Uruguai permaneceu como província brasileira até 1828, quando Brasil, Argentina e Reino Unido reconheceram o novo Estado. Porém, a data utilizada no país para marcar a libertação é 25 de agosto de 1825.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •