Lançamento do Mein Kampf

Livro de Hitler é um dos mais polêmicos da história

 

Nada melhor do que começar com um assunto polêmico, não é? Em 18 de julho de 1925, Adolf Hitler tinha o primeiro volume do seu livro Mein Kampf (Minha Luta, em português) lançado na Alemanha. A obra, que contém as principais ideias que inspiraram o regime nazista na Alemanha até o fim da Segunda Guerra Mundial, caiu em domínio Público no fim de 2015, causando grande controvérsia ao redor do mundo.

Mein Kampf foi escrito em dois volumes, um ditado por Hitler na prisão e outro editado posteriormente à sua saída. O livro tem conteúdo antissemita (contra os judeus e sua cultura), racista e idealiza a Alemanha sob controle do Partido Nazista. Após a publicação da obra, o número de seguidores de Hitler e do nazismo começou a aumentar, mas apenas após as eleições de 1930, em que os nazistas conquistaram o segundo lugar geral, o livro alcançou um número expressivo de vendas. Para você ter uma ideia, entre 1925 e 1929 não haviam sido vendidos mais de 10 mil livros por ano. A partir de 1930, o crescimento foi gigantesco, passando de 1 milhão de cópias em 1933 e alcançando o máximo de 6 milhões de exemplares em 1940, no auge do regime nazista.

 

PARÊNTESES: Em 1923 Hitler tentou um golpe contra o governo da Baviera, região onde fica a cidade de Munique, mas fracassou e acabou preso. Durante os 9 meses que permaneceu na cadeia, o futuro ditador alemão ditou o primeiro volume do Mein Kampf.

 

As ideias contidas no livro influenciaram fortemente vários alemães, que se viam cercados pela pobreza trazida pela Primeira Guerra Mundial e a Crise Econômica de 1929. Hitler desenvolveu um conceito diferente de raça, concebendo que a raça ariana (majoritariamente branca) seria a melhor e os alemães deveriam guiar uma nova ordem mundial. Além disto, a obra transmite o extremo desprezo que o autor tinha pelos judeus e por outras etnias e grupos da sociedade, como os ciganos e os homossexuais. 

Em 2015, uma grande polêmica sobre o Mein Kampf se iniciou: o livro que não era publicado desde a Segunda Guerra Mundial, quando foi banido da Alemanha, caiu em domínio público após os 70 anos da morte de Hitler e pôde ser reproduzido por qualquer editora. Muitos países, órgãos e estudiosos demonstraram a vontade de manter a proibição a obra, enquanto outros defenderam a publicação do livro com comentários e críticas ao conteúdo. Há ainda os que são completamente a favor da publicação, visto que o conteúdo é de domínio público e as liberdades e direitos individuais deveriam ser respeitados.

E aí, você concorda ou discorda sobre a publicação deste livro? Deixe seu comentário.

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • Audálio Ramos Machado Filho

    Liberdade de expressão noves fora a obra ser ruim escrita por um insano. Lixo da história mas serve como material para entender-se aquele momento.

  • José Carlos Branco

    O conhecimento é a base para a construção de um pensamento crítico, então, apesar de se tratar de uma obra escrita por um “monstro”, deve ser publicada.