Lançamento do Voyager 2

Em 20 de agosto de 1977 se iniciava uma nova página na história das ciências

 

Em 20 de agosto de 1977 se iniciava uma nova página na história das ciências: o lançamento da nave Voyager 2. Fruto de um projeto que visava estudar os planetas mais distantes do Sol – Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão (que ainda era considerado planeta na época). Porém, a espaçonave robótica e sua irmã, Voyager 1, fizeram muito mais do que o esperado.

 

O Programa Voyager foi desenvolvido na década de 70 pela NASA (Agência Espacial Americana) e que enviou as duas sondas espaciais citadas acima para estudar o Sistema Solar. A Voyager 2 descobriu diversas luas dos planetas estudados e tirou uma série de fotos que ajudaram os cientistas a entenderem melhor os outros astros que orbitam a nossa estrela. A Voyager 1, mesmo tendo sido lançada 15 dias depois, conseguiu adquirir maior velocidade e ultrapassou a irmã rapidamente.

 

As naves continuam em missão, 40 anos depois e agora começam a desbravar o espaço interestelar da nossa galáxia. Devido a grande velocidade, a Voyager 1 já saiu do Sistema Solar, e se encontra em uma área muito afetada pelo magnetismo. A segunda nave está nas fronteiras da influência do Sol, numa zona chamada de Heliosfera, que se parece com uma atmosfera planetária. No entanto, essa “bolha” sofre muita influência do espaço, causando uma grande concentração de raios cósmicos no local.

 

 

 

 

Não se sabe até onde as espaçonaves chegarão, nem até quando receberemos os sinais e dados enviados por ambas, mas é importante ressaltar o grande papel que as duas representaram para a ciência. Carl Sagan, um dos astrônomos mais famosos da história, coordenou uma parte do programa, visando a comunicação com espécies extraterrestres. Dentro das duas naves há discos de ouro contendo várias imagens, sons, saudações e músicas da Terra (incluindo em português). E aí, qual sua opinião sobre as viagens espaciais?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •