Morte de Rembrandt

Conheça a história de vida deste gênio da arte

 

Rembrandt van Rijn foi um pintor e gravurista holandês. Nascido em 1606, foi um mestre das artes, sendo considerado um dos maiores artistas da história. O dia 4 de outubro de 1669 marca a data da sua morte. Ele é um dos símbolos de um período de extrema importância dos Países Baixos no contexto mundial. No século 17, os holandeses conseguiram se erguer como grandes exploradores e comerciantes, inclusive invadindo o Nordeste brasileiro em duas oportunidades.

 

“A Ronda Noturna” (1642)

 

Natural de Leiden, vinha de uma família humilde. Mesmo assim não deixou de estudar, tendo iniciado os estudos universitários na sua terra natal. No entanto, por conta do pouco dinheiro da família e sua vontade em desenvolver a pintura. Em 1623 largou a universidade para se concentrar na arte. Nesse período foi aprendiz do pintor Pieter Lastman em Amsterdam. Voltou para sua cidade e apenas em 1631 se estabeleceu definitivamente no grande centro dos Países Baixos.

 

Em Amsterdam virou um famoso pintor e retratista profissional, sendo contratado pela crescente burguesia urbana da cidade, que estava se tornando um dos maiores polos europeus. Conseguiu grande prosperidade financeira e pessoal nos anos seguintes, mas a morte de três filhos ainda bebês e o falecimento da esposa em 1642 deixam a vida e a pintura de Rembrandt mais sombrias. Nos anos seguintes sofre com as dificuldades financeiras e a falta de encomendas.

 

“Aula de Anatomia do Dr. Tulp” (1632)

 

Em 1668 seu único filho vivo morre, complementando a perda da sua segunda companheira que ocorrera em 1663. Apenas um ano depois, extremamente pobre e solitário, Rembrandt faleceu. Sua arte só foi valorizada a partir do século 19 e hoje em dia ele é considerado por muitos o mais importante expoente da pintura holandesa. Era conhecido por seus autorretratos, suas pinturas religiosas ou mitológicas e por retratar as famílias abastadas de Amsterdam.

 

Veja a maioria das obras de Rembrandt

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •