Morte de Santo Inácio de Loyola

Conheça a história desse admirável líder religioso

 

Inácio de Loyola, nascido Iñigo, era natural do País Basco e foi um dos mais importantes líderes católicos da Idade Moderna, tendo refletidos até hoje seus ensinamentos e ações. Após vários anos servindo a nobreza e guerreando, Inácio foi ferido gravemente em batalha. Durante uma difícil recuperação, se converteu e decidiu se tornar um religioso.

Quando estava estudando em Paris, reuniu alguns seguidores e decidiu criar a Companhia de Jesus (jesuítas), fundada em 1534 e principal peça da Contrarreforma católica no século XVI. A chave dos jesuítas para enfrentar o avanço protestante era a educação e a evangelização dos locais recém-colonizados e dos países pouco conhecidos da África e Ásia.

 

A Contrarreforma foi uma reação da Igreja Católica à Reforma Protestante, iniciada por Martinho Lutero em 1517. Esse episódio foi responsável pela modificação de diversos aspectos internos da Igreja, mas também apoiou a criação de universidades e o aumento de importância dos jesuítas, encarregados de evangelizar povos considerados pagãos em regiões fora da Europa.

 

Na América do Sul, a Companhia de Jesus foi responsável por catequizar os povos indígenas e iniciar a criação de um grande número de colégios e missões. No Brasil, se destacaram os padres José de Anchieta e Manoel da Nóbrega, que fundaram a cidade de São Paulo. Os jesuítas também foram conhecidos por procurarem levar a fé católica até lugares muito exóticos na época, como o Japão, China e Congo.

 

Inácio de Loyola morreu em 31 de julho de 1556, deixando um grande legado seguido até hoje. Foi canonizado pela Igreja Católica, se tornando santo em 1622. A Companhia de Jesus, que possui uma enorme quantidade de instituições de ensino (universidades e colégios) pelo mundo, se tornou uma das ordens mais fortes dentro dos segmento católico. Inclusive, o Papa Francisco, atual líder católico, é jesuíta.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •