Nascimento de Adhemar Ferreira da Silva

Nos 90 anos do seu nascimento, conheça melhor um dos maiores atletas brasileiros da história

 

Nascido em São Paulo no dia 29 de setembro de 1927, Adhemar Ferreira da Silva é um dos maiores atletas olímpicos brasileiros de todos os tempos. Filho de uma lavadeira e de um ferroviário, sempre foi um batalhador. Conseguiu se tornar bicampeão olímpico, tricampeão pan-americano, cinco vezes vencedor do Campeonato Sul-Americano e 10 vezes campeão brasileiro.

 

Adhemar ganhou mais de 40 títulos na carreira

 

Era fumante desde os 16 anos de idade, consumindo um maço de cigarros por dia mesmo treinando ou competindo. Desde cedo teve que lutar, mas nunca esqueceu dos estudos. Apenas com 18 anos foi apresentado ao salto triplo, a modalidade do atletismo que o tornaria uma lenda. Com 20 anos começou a competir e seu crescimento era impressionante, um verdadeiro talento natural. Entre 1947, ano da sua primeira competição, e 1948, ano que foi para seus primeiros Jogos Olímpicos, conseguiu melhorar em 2 metros seu salto.

 

Adhemar ao bater o recorde mundial e ganhar o ouro olímpico em Helsinque (1952)

 

Em 1950 começou a assombrar o mundo: igualou o recorde mundial de 16 m que vigorava desde 1936. Venceu o Pan de Buenos Aires em 1951 e meses depois bateu o recorde mundial com a marca de 16,01 m. Nas Olimpíadas de Helsinque (capital da Finlândia) em 1952 obteve seu primeiro ouro, batendo duas vezes seu próprio recorde mundial. Nos Jogos Pan-Americanos de 1955 conseguiu vencer com sobras, estabelecendo sua melhor marca na carreira e mais uma vez a melhor do mundo: 16,56 m. Em 1956, em Melbourne, na Austrália, sagrou-se bicampeão olímpico e se tornou uma lenda. Ainda em 1959 foi tricampeão pan-americano.

 

Além de ser um dos maiores atletas brasileiros de todos os tempos, Adhemar também tinha 4 cursos superiores e era poliglota

 

Nos Jogos Olímpicos de Roma,  em 1960, era mais uma vez o favorito ao título, mas foi muito abaixo das expectativas por conta de uma tuberculose agravada pelo seu tabagismo. Se aposentou neste mesmo ano. Mesmo sendo multicampeão Adhemar não era muito de treinos, preferia estudar ou trabalhar. Com esse pensamento se tornou escultor formado, graduou-se em Educação Física, Direito e Relações Públicas (neste último já com 63 anos). Além disso, era poliglota e foi Adido Cultural na Embaixada Brasileira em Lagos, Nigéria, entre 1964 e 1967. Também atuou em peças de teatro e no filme Orfeu do Carnaval, que venceu o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

 

Após o fim da carreira trabalhou para o Estado de São Paulo e também na organização de competições no Brasil e no mundo. Foi altamente condecorado e está no Hall da Fama do Atletismo. Morreu no início de 2001 tendo se tornado uma lenda do esporte brasileiro e um grande revolucionário da sua modalidade. Ele iniciou uma grande tradição brasileira no salto triplo, que contou com nomes como: Nelson Prudêncio, João do Pulo e Jadel Gregório.

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •