Nascimento de Carlos Martel

Conheça mais sobre o homem que mudou a história da Europa

 

A Europa e a Igreja Católica estavam acuadas após as crescentes vitórias islâmicas no continente. A partir de 711, muçulmanos haviam invadido a Península Ibérica e não encontraram grande resistência por parte dos povos da região, posteriormente dominando o sul da França também. Porém, em 732 um homem foi o maior responsável por frear a invasão: Carlos Martel. Nascido em 23 de agosto de 686, é considerado um dos mais importantes personagens da Idade Média ocidental.

 

Nascido onde hoje é a Bélgica, Martel era filho ilegítimo de um nobre considerado o braço direito do principal monarca franco. Nesta época, os territórios dos francos, um povo bárbaro que havia se estabelecido na Europa durante o fim do império romano, era dividido em três reinos. Após uma sangrenta guerra entre os três domínios francos, Carlos Martel assumiu de fato o controle sobre seu povo, mesmo que tenha ficado com o antigo cargo do pai.

 

Carlos Martel ficou conhecido como “O Martelo”,  pelo seu nome e por sua arma favorita em batalhas

 

Através do seu poderio militar e de acordos com membros da Igreja o governante franco foi sedimentando seu poder, pacificando o território e unificando a nação. Ainda aumentou os domínios, estendendo as fronteiras até o sul da Alemanha e a Áustria. No entanto, o que realmente preocupava Martel era as invasões muçulmanas ao Sul. Quando os islâmicos estavam chegando ao centro do atual território da França, alguma atitude deveria ser tomada.

 

Reunindo tropas francas e de alguns aliados vizinhos, Martel travou a Batalha de Poitiers (também conhecida como Batalha de Tours) contra o Califado Omíada, invasor da Europa. Os francos e germânicos pegaram os muçulmanos de surpresa, além de suportarem melhor o frio. A força islâmica era muito maior e contava com uma cavalaria fortíssima. A batalha parecia perdida para os cristãos, mas um plano de Martel permitiu a vitória dos católicos: o general franco havia dividido um batalhão para libertar os prisioneiros na retaguarda muçulmana. Além do aumento das suas forças, os batedores franceses pegaram várias riquezas saqueadas pelos islâmicos em outras cidades francas. Essa ação fez com que vários soldados e oficiais omíadas se retirassem da batalha visando recuperar seus saques. Com as tropas desorganizadas, Martel fez uma investida contra o general e governador muçulmano Abd-ar-Rahman al-Gafiqi e seu exército conseguiu matá-lo.

 

Representação da Batalha de Poitiers (Tours)

 

Após a vitória em Poitiers, o soberano franco teve que defender o território contra os islâmicos por mais 5 anos. Em 737 se tornou o rei de fato, mesmo que já fosse o real governante desde 718. Sua vitória contra os árabes fez com que o papa homenageasse Martel com o título de Herói da Cristandade. Seu papel na unificação dos territórios francos foi o início da identidade nacional francesa e o começo de um dos maiores impérios da Idade Média. Seus domínios foram aumentados por seu filho, Pepino, e seu neto, Carlos Magno, no que ficaria conhecido como Império Carolíngio.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •