O menino e o cubículo

De qual forma você vê a vida?

 

 

Por Rebecca Dantas

 

 

Existia um menino que morava num cubículo

Olhava pra sua mão e via cubículos

Olhava pro seus dedos e via quadrados

Olhava pro espelho e só via a moldura

Não havia expressão de si além de linhas que se tocavam em seus pensamentos escuros

Estes lhes faziam as sombras

A primeira dimensão que alcançava

E ele gostava de sentar

Sentava sempre com a coluna ereta

Sentava em uma cadeira quadrada

Em frente a telas marcadas

A segunda dimensão que alcançava

Não conseguia caminhar fora das retas

O máximo onde conseguia chegar eram arestas

Ninguém pode ir além do que deseja ser

A terceira dimensão que alcançava

Face a face ele percorria até chegar as mesmas conclusões

O sol ele via quadrado

O ano contava em quartos

De hora em meia apitava o relógio

A janela aberta só na beira pra garantir que medido o ar entrava 

Entrava pelas mesmas portas

Saia pelas mesmas esquinas

Acreditava que a vida se baseava em ângulos retos

Única dimensão que alcançava

Preso em uma vida quadrada

Ele morava em um cubículo

O cubículo era sua própria cabeça

Todas as dimensões que alcançava

  • 8
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •