Os clubes de futebol de Garanhuns

Entenda melhor a história dos times garanhuenses

 

 

Por Audálio Machado

 

 

Domingo é dia de futebol, então não há momento melhor para publicar esse texto. Quem é morador de Garanhuns conhece a rivalidade entre AGA e Sete de Setembro. Os dois clubes já trouxeram alegrias para a cidade, que mesmo sendo uma das maiores de Pernambuco não é conhecida pela tradição no esporte mais popular do mundo. Os times garanhuenses sempre oscilaram na disputa de campeonatos profissionais, raramente conseguindo resultados de destaque no Pernambucano, por exemplo.

A seguir vou apresentar os dados dos clubes de Garanhuns em suas participações em eventos esportivos profissionais. Pretendo demonstrar que mesmo sem muita tradição, há uma história bonita no futebol garanhuense.

 

AGA

 

A Associação Garanhuense de Atletismo (AGA) é o time mais antigo da cidade, fundado em 31 de agosto de 1930. O surgimento do clube decorreu da fusão de duas outras equipes. Em 1955 inaugurou seu estádio, o Gerson Emery, em homenagem a um dos seus presidentes. A AGA ficou a maioria dos seus anos no amadorismo, incluindo períodos de desativação do futebol (como atualmente). Também teve times em outras modalidades, como o vôlei, futsal e natação.

 

Foto do interior do Estádio Gerson Emery, que tem capacidade para pouco mais de 5.000 espectadores

 

No seu período amador conseguiu diversos títulos de Garanhuns, além de conquistas no interior. Em 1968 foi campeã pernambucana da categoria amadora. No entanto, em 2000 o clube se profissionalizou e conseguiu logo em seguida ser campeão da segunda divisão do Pernambucano. Neste torneio, a AGA teve a maior pontuação no quadrangular final. Entre 2001 e 2004, o time jogou a Série A1 do Campeonato Pernambucano. Inclusive, em 2003 se sagrou campeã do interior após boa campanha no torneio. Veja o desempenho do time em cada ano:

 

Resultados da AGA no Campeonato Pernambucano

 

 

A AGA teve bons desempenhos no Pernambucano, conseguindo inclusive participar do quadrangular final em 2003. Esse resultado classificou o clube para o Brasileiro Série C, mas por dificuldades financeiras, não houve participação do representante de Garanhuns. No ano seguinte, o time foi o lanterna da competição, conseguindo apenas 15 pontos em 18 jogos. Com o rebaixamento, o futebol profissional foi desativado e desde então a equipe não participa de competições.

 

Sete de Setembro

 

O Sete de Setembro Esporte Clube foi fundado em 7 de setembro de 1950. Seu estádio se chama oficialmente Marco Antônio Maciel, mas é mais conhecido como Gigante do Agreste. Já teve times de futsal que disputaram o Pernambucano da modalidade com certo destaque.

 

Foto aérea do Gigante do Agreste, que tem capacidade para mais de 6.000 pessoas

 

Manteve-se no amadorismo até 1982, quando estreou no Campeonato Pernambucano de Futebol. Até os dias atuais se reveza em participações na primeira ou segunda divisão de Pernambuco. Em competições amadoras foi diversas vezes campeão de Garanhuns, além de ter se sagrado vencedor da Série A2 pernambucana em 1995, já na fase profissional. Vejamos a saga do Sete no profissionalismo:

 

Resultados do Sete no Campeonato Pernambucano

 

 

Na maioria dos anos, o Sete ficou na parte de baixo da tabela, lutando para não acabar nas últimas colocações. Pode ser percebido que há campeonatos nos quais o time garanhuense teve mais vitórias do que derrotas e saldo de gols positivos, mas obteve uma classificação ruim. Este fato se dá por conta do regulamento do Pernambucano nesses períodos, que priorizava as equipes com melhor campanha no ano anterior, separando-as em Grupo A e B. Por isso, em alguns anos em que o Sete de Setembro sofreu muitas derrotas, é possível observar que teve boa colocação, enquanto em anos considerados positivos nos resultados ficou em posição baixa na tabela. De fato, o Grupo B funcionava como uma divisão de acesso, principalmente nos anos 90, como pode ser percebido pela pouca quantidade de jogos (6) do clube de Garanhuns.

O engraçado é que o Sete  teve uma ótima campanha em termos de resultados em 1994, mas ficou em segundo no Grupo B, não conseguindo permanecer na primeira divisão do ano seguinte, que viu a redução de 13 para 10 times. Além disso, venceu a Série A2 estadual em 1995, porém, não jogou o Pernambucano 96 porque houve uma nova diminuição de equipes, de 10 para 8. Depois, não faria mais campanhas positivas na segunda divisão até o ano de 2007, quando foi vice e subiu após 13 anos de ausência.

 

Imagens do álbum de figurinhas do Campeonato Pernambucano de 1988 contendo o time do Sete de Setembro na competição

 

Pelos números apresentados, é perceptível que o Sete jogou muito mais do que a AGA em Campeonatos Pernambucanos. Isto aconteceu essencialmente porque o primeiro time citado se profissionalizou nos anos 80, enquanto a Associação Garanhuense de Atletismo ficou no profissionalismo entre 2000 e 2006 apenas. Proporcionalmente, a AGA teve melhores desempenhos do que seu rival municipal no principal torneio estadual.

Profissionalmente, os dois clubes de Garanhuns só se enfrentaram duas vezes na história. Os confrontos ocorreram na primeira fase da Segunda Divisão do Pernambucano de 2000, ano no qual a AGA se sagrou campeã da competição. Infelizmente não encontrei os resultados das partidas.

É isso pessoal! Fiz esse artigo recordando minhas idas aos estádios dos dois times na infância e adolescência. Ia aos jogos frequentemente com meus familiares e amigos assistir o Sete ou a AGA jogarem com os grandes clubes de Recife ou com os rivais regionais. Ficaram as boas recordações e a esperança de que o futebol em Garanhuns seja restabelecido, e que de uma vez por todas o esporte mais popular do mundo crie raízes duradouras numa das maiores cidades do interior de Pernambuco.

 

*Os dados.apresentados são decorrentes da pesquisa do autor, podendo haver discrepâncias entre os números mostrados nesse artigo e os exibidos em outras matérias.

  • 17
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •