Prefeitos de Garanhuns – Parte 1

Saiba mais sobre os primeiros prefeitos da história de Garanhuns

 

Por Audálio Machado

 

Garanhuns é uma das mais antigas cidades do interior de Pernambuco, datando o começo da sua povoação ainda no século 17. A partir de 1811, quando foi alçada a vila, o município passou a ter uma Câmara de Vereadores e autonomia política. No entanto, o cargo de prefeito só é considerado após o fim da Intendência Municipal (indicada pelo governador) no começo da República e as primeiras eleições para o chefe do Poder Executivo na cidade. Abaixo está a primeira parte da lista dos prefeitos de Garanhuns em ordem cronológica, não sendo considerados titulares e interinos que ficaram menos de 6 meses à frente da Prefeitura. No final da matéria há um slide com as fotos da maioria dos governantes municipais do período.

 

Coronel Antônio da Silva Souto (1892-1895): primeiro prefeito eleito de Garanhuns. Assumiu após a anulação de duas eleições, vencendo a terceira.

 

Manoel Antônio de Azevedo Jardim (1895-1898 e 1901-1904): duas vezes prefeito da cidade. deputado estadual e também prefeito de Águas Belas e Canhotinho. Criou a primeira escola pública municipal. Implementou o primeiro serviço de iluminação pública de Garanhuns.

 

Tenente-Coronel Francisco Veloso da Silveira (1898-1901 e 1904-1907): prefeito por dois mandatos. Conhecido por melhorar a infraestrutura da cidade, principalmente na pavimentação de ruas.

 

Comendador Manoel Clemente da Costa Santos (1907-1909): renunciou um ano antes de completar o mandato. Não há dados de obras ou fatos relevantes em seu governo.

 

Capitão Manoel Quirino dos Santos (1910): ficou apenas um ano no cargo, realizando poucas obras.

 

Antônio Isaac de Macedo (1910-1911): renunciou ao cargo em pouco tempo.

 

Argemiro Tavares de Miranda (1911-1912): investiu na infraestrutura da cidade, com destaque para a iluminação pública, a limpeza da cidade e a reestruturação de algumas ruas. Renunciou perto do fim de seu mandato.

 

Coronel Júlio Euthymio da Silva Brasileiro (1912-1913): destacou-se na arborização da cidade. Foi deputado estadual.

 

Coronel Francisco Vieira dos Santos (1913-1916): não há dados relevantes sobre suas ações.

 

Coronel Joaquim Alves Barreto Coelho (1917-1918): assumiu a prefeitura devido a Hecatombe de Garanhuns, evento que será tratado em um artigo posterior.

 

Capitão Pedro Ivo da Silva (1918-1919): não há dados relevantes sobre seu mandato, muito provavelmente pelo pouco tempo que esteve à frente da Prefeitura.

 

Coronel José de Almeida Filho (1919-1922): foi um prefeito de grande destaque, investindo na melhoria das estradas para as vilas pertencentes ao município; criação de diversas escolas na sede e nos distritos; abertura e calçamento de ruas e avenidas; e criação do Obelisco (Pirulito) na Boa Vista, em razão do centenário da Independência do Brasil.

 

Luiz de Barros Correia Brasil (1922-1924): não conseguiu administrar a cidade de maneira satisfatória por conta da saúde frágil. Morreu antes de completar o mandato.

 

Coronel Euclides da Costa Dourado (1924-1929 e 1930): destaque para a criação do Arquivo Municipal; melhoria de várias estradas para vilas e cidades próximas; fundação do Parque Municipal (atual Parque Euclides Dourado), que contava com um pequeno zoológico; construção do Cemitério São Miguel e edificação do primeiro Matadouro Público. Foi um dos prefeitos que mais realizou obras na história de Garanhuns.

 

Mário Sarmento Pereira de Lira (1930-1935): Interventor municipal, cargo criado durante o governo de Getúlio Vargas. Era nomeado pelo interventor federal que substituiu o cargo de governador. Ou seja, não foi eleito pelo povo. Se destacou pelo elevação do número de escolas no município, principalmente na zona rural. Em seu período no governo também investiu no abastecimento d’água e no calçamento de ruas. Conseguiu a aprovação da construção da rodovia até a cidade de São Caetano. Foi deputado estadual.

 

Capitão Thomás da Silva Maia (1935-1936): já havia exercido o cargo interinamente anos antes. Em seu pouco tempo no governo foi responsável pelo calçamento de um trecho da Avenida Santo Antônio.

 

Celso Galvão (1937-1945 e 1952-1955): também foi prefeito de Caruaru em duas oportunidades. A Prefeitura de Garanhuns leva seu nome. No primeiro mandato, como interventor, se sobressaiu principalmente em relação à construção de praças e melhoria das vias da cidade. Também ergueu a Prefeitura Municipal em 1942. No segundo mandato, desta vez eleito pela população, Celso Galvão criou o Cristo do Magano, um dos principais pontos turísticos do município até hoje. Além disso se destacou em ações que visavam a melhoria do saneamento básico e a pavimentação de ruas e avenidas.

 

José Henrique de Abreu Vanderlei (1945-1946): também interventor, exerceu o cargo por aproximadamente um ano. Calçou algumas ruas neste curto período de tempo.

 

Antônio Cesário da Silva Brasileiro Filho (1946-1947): último interventor a ficar no cargo por mais de 6 meses. Mais um que se destacou pela pavimentação de vias públicas na cidade.

 

Com o fim do período dos interventores em 1947, os prefeitos voltaram a ser eleitos pela população. No próximo artigo sobre Garanhuns, trataremos dos administradores municipais que governaram até a atualidade. Espero vocês na segunda parte.

 

Confira as fotos de (quase) todos os prefeitos de Garanhuns entre 1892 e 1947:

 

Arrow
Arrow
Prefeitos de Garanhuns (1892-1947) - Fotos de quase todos os prefeitos do período
Slider

 

Referências

 

GUEDES, José Carlos de Souza. História de Garanhuns: da Colônia à República. Garanhuns-PE, 2016. 242 p.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • José Carlos Branco

    Muito bom poder conhecer um pouco mais sobre a história da nossa terra e entender as mudanças causadas na cidade durante alguns governos.