Tratado de Nystad

Conheça uma das maiores guerras europeias que você nunca ouviu falar

 

A Grande Guerra do Norte não é muito conhecida no Brasil. O conflito que durou 21 anos (1700-1721) envolveu vários reinos europeus que se localizavam no extremo norte ou no leste do continente. O Tratado de Nystad (Uusikaupunki em finlandês), assinado em 10 de setembro de 1721 pela Suécia e a Rússia, deu fim ao conflito que marcou o fim do Império Sueco.

 

A Suécia havia se estabelecido como uma potência europeia durante o século 17. Até 1660 havia conquistado vários territórios dos países vizinhos e tinha uma organização econômica invejável. Isso causou a ciumeira de diversos reinos próximo como a Dinamarca-Noruega, a Polônia-Saxônia e a Rússia. Os governantes deste país criaram uma aliança anti-sueca e invadiram diversos pontos do Império Sueco no início de 1700.

 

Extensão máxima do Império Sueco em 1660. Em laranja, o atual território da Suécia

 

O exército sueco era conhecido por sua força tática e estratégica, sempre vencendo batalhas nas quais estava em menor número. O rei Carlos XII da Suécia invadiu primeiramente a Dinamarca, dominando a capital Copenhague em poucos meses. Nos anos seguintes conseguiu derrotar a Saxônia e a Polônia, além de reconquistar todas as suas posses na Finlândia e no Báltico da Rússia. Então, o rei sueco definiu um plano que marcaria sua derrota: invadir a Rússia e conquistar Moscou. Após conseguir derrotar três dos quatro adversários em apenas 4 anos, Carlos XII decidiu reunir tropas e recursos por 3 anos antes de invadir o Império Russo.

 

Carlos XII da Suécia assumiu o trono aos 15 anos e morreu aos 36

 

Na metade de 1707 a invasão se iniciou, com vitórias importantes suecas, mas a medida que as tropas iam adentrando o território russo, os habitantes dos locais levavam ou destruíam todos os alimentos, colheitas e demais recursos vitais. Essa é a famosa tática de terra arrasada. Além disso, os russos atacavam as caravanas de suprimento suecas. Com isso, os suecos e seus aliados sofreram com o frio e a fome, chegando ao ponto de terem de comer os cavalos da cavalaria para não morrerem. Tendo que recuar até a Ucrânia, o rei sueco foi derrotado em Poltava e fugiu para o Império Otomano.

 

Pedro I da Rússia liderou os russos a vitória e se tornou o primeiro Imperador russo após vencer a guerra

 

O rei sueco permaneceu quase 5 anos sob proteção dos otomanos, que o mantiveram protegido por estarem em guerra com a Rússia também. No tempo em que esteve fora a Suécia sofreu várias derrotas e uma crise se estabeleceu no reino. Com os russos derrotados pelos otomanos, uma das exigências era que Carlos XII pudesse retornar em segurança para seu império. Quando voltou, a Prússia e Hanover também tinham se voltado contra os suecos. Até 1718 o monarca estava sendo capaz de manter a guerra equilibrada, mas foi morto em uma batalha na Noruega. Deste ponto em diante o Império Sueco tentou resistir, contudo, não conseguiu por muito tempo.

 

Entre 1719 e 1720 a Suécia assinou os Tratados de Estocolmo, em que dava territórios e dinheiro para a Dinamarca, Prússia e Hanover. Em 1721 houve a assinatura do Tratado de Nystad, que deu fim a Grande Guerra do Norte e marcou o fim do Império Sueco e a ascensão do Império Russo como potência europeia.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •