Lugares

5 fatos sobre a Academia Brasileira de Letras

Conheça mais sobre essa instituição brasileira

 

1 – Informações gerais

A academia Brasileira de Letras (ABL) é uma instituição cultural brasileira focada na Literatura. Fundada em 20 de julho de 1897, é um órgão privado que tem como objetivo cultivar o português brasileiro e todos os seus gêneros literários. Está sediada no Rio de Janeiro e é formada por 40 membros permanentes e 20 sócios estrangeiros.

 

Uma edição da Revista Brasileira exposta numa biblioteca municipal.

 

2 – A fundação

No início da década de 1890, alguns escritores começaram a alegar que o Brasil precisava ter uma instituição literária nacional, de forma parecida com a já existente Academia Francesa. Desse modo, Lúcio Mendonça propôs a Academia de Letras no final de 1896, que sem a ajuda estatal, teve que se virar com locais emprestados no início. Em dezembro do mesmo ano, Machado de Assis foi eleito presidente mesmo antes do órgão ser oficialmente criado. Em janeiro de 1897 o estatuto foi constituído e em julho houve a sessão inaugural no Rio de Janeiro. Entre os membros fundadores, além dos já citados, estavam: Rui Barbosa (saiba mais aqui), Joaquim Nabuco (saiba mais aqui), Olavo Bilac (saiba mais aqui), Graça Aranha, Visconde de Taunay e diversos outros literatos proeminentes.

 

De pé: Rodolfo Amoedo, Artur Azevedo, Inglês de Sousa, Bilac, Veríssimo, Bandeira, Filinto de Almeida, Passos, Magalhães, Bernardelli, Rodrigo Octavio, Peixoto; sentados: João Ribeiro, Machado, Lúcio de Mendonça e Silva Ramos.

 

3 – A história continua

Sem dinheiro e sem sede, a ABL tinha suas reuniões solenes em um espaço cedido no Ginásio Nacional (atual Colégio Pedro II). Já os encontros ordinários eram realizados no escritório de advocacia um dos membros, Rodrigo Octávio. Em 1904, a Academia se mudou para o Silogeu Brasileiro, um prédio federal que abrigava outras instituições culturais. No ano de 1910, o órgão engloba a Revista Brasileira, dando continuidade a este folhetim, ao mesmo tempo que muda seu nome para Revista da Academia Brasileira de Letras. Por fim, em 1923, finalmente a ABL recebeu uma casa própria: a doação do Pavilhão Francês (atualmente chamado Petit Trianon) pelo governo francês. Esse edifício é utilizado até os dias atuais.

 

Posse de Getúlio Vargas como membro da Academia Brasileira de Letras, em 29 de dezembro de 1943.

 

4 – Características

A Academia tem 40 membros perpétuos, como falado anteriormente, por isso, o integrantes da Casa são chamados de “imortais”. Quando um desses literatos morre, outros podem se candidatar, sendo o novo associado escolhido por voto secreto entre os candidatos à vaga. A primeira mulher empossada foi Rachel de Queiroz (saiba mais aqui), em 1977. Cada uma das 40 cadeiras da ABL tem um patrono escolhido pelos fundadores. Essas figuras representam importantes escritores e acadêmicos de língua portuguesa. As 20 cadeiras destinadas a escritores estrangeiros são meramente honorárias, visando homenagear grandes nomes da Literatura mundo à fora.

 

Academia Brasileira de Letras

 

5 – Mais curiosidades

A Academia Brasileira de Letras é uma instituição que fomenta a cultura no Brasil. Além de diversos prêmios literários, há uma premiação destinada ao Cinema. Nos últimos anos, a ABL foi criticada por esquecer grandes nomes da literatura nacional e colocar políticos, médicos e empresários nas vagas que deveriam ser destinadas para escritores ou linguistas. Durante a história da instituição, além do teor majoritariamente masculino, houve também o esquecimento de lendas nacionais, como Clarice Lispector (saiba mais aqui), Cecília Meireles, Graciliano Ramos, Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes (saiba mais aqui), Monteiro Lobato e diversos outros importantes literatos brasileiros.

 

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas