Acontecimentos

5 fatos sobre a Batalha de Queroneia

Conheça mais sobre esse importante conflito da antiguidade

 

1 – Informações gerais

A Batalha de Queroneia foi um importante conflito ocorrido em 2 de agosto de 338 a.C. entre o Reino da Macedônia e as cidades-estado gregas de Atenas e Tebas. Os macedônios eram liderados pelo rei Filipe II, pai de Alexandre, o Grande (saiba mais aqui). Esta batalha foi importante pois marcou o fim da democracia nas cidades gregas, além de apontar uma nova potência da Antiguidade.

 

O Leão de Chaeronea , provavelmente erigido pelos tebanos em memória de seus mortos

 

2 – Antecedentes

A Macedônia Antiga era um reino de origem grega, que por muitos anos era inferior tanto militar, quanto culturalmente em relação aos povos mais ao Sul. Por muitos anos foram dominados por tribos estrangeiras ou pelos persas. Seu auge surgiu no período em que Filipe II conseguiu o poder, expulsou os invasores ilírios e paulatinamente foi expandindo a influência do reino macedônio por toda a Grécia. Durante anos houve batalhas com os persas e as cidades-estado gregas. A partir da década de 340 a.C., Filipe conseguiu derrotar as cidades menos poderosas e os trácios, povo que habitava o norte da Macedônia. Estas conquistas o fizeram invadir de vez a Grécia.

 

Alívio funerário para o soldado Pancahre, que provavelmente caiu na batalha de Chaeronea.

 

3 – A conquista da Grécia

Os macedônios enfrentaram adversários que ainda eram fortes, mas que já haviam passado por muitos conflitos entre si. Um exemplo é a Guerra do Peloponeso, travada entre Atenas e Esparta e cidades aliadas, na qual os espartanos saíram vitoriosos. Com um governo focado nas ações militares e na expansão rápida da Macedônia, Filipe utilizou técnicas militares inovadoras para arrasar as concentrações urbanas menos importantes. Por fim, conquistou a cidade de Queroneia, próxima de Tebas. Este fato fez com que tebanos e atenienses, antes inimigos, se unissem para frear o avanço macedônio.

 

Plano de Batalha de Chaeronea

 

4 – A batalha

Em um campo próximo de Queroneia, os 30 mil macedônios liderados por Filipe. Entre estes 5 mil cavaleiros liderados por Alexandre, o Grande. Atenas e Tebas (e seus aliados aqueus) haviam enviado 35 mil homens, com o destaque para o Batalhão Sagrado tebano, que consistia em 300 homens homossexuais selecionados, divididos em 150 casais. A estratégia do rei da Macedônia foi fulminante: ele buscou o confronto direto com o exército inimigo até ordenar o recuo das suas tropas. Após algum tempo, mandou que seus soldados correrem como se estivessem fugindo, mas na verdade, queria separar os atenienses dos tebanos. Após a separação, ordenou que sua infantaria pesada atacasse pelos flancos, dizimando as tropas de Atenas. Os militares de Tebas tentaram ajudar, contudo, a cavalaria macedônia conseguiu isolar e cercar o Batalhão Sagrado, derrotando o maior trunfo tebano. Este fato tirou o restante do moral dos inimigos de Filipe e Alexandre, sendo derrotados brutalmente).

 

O mundo helênico em 336 aC, após o estabelecimento da Liga de Corinto

 

5 – O depois

Ao fim da Batalha de Queroneia, os campos estavam cobertos de sangue ateniense e tebano. A Macedônia conseguiu sacramentar a conquista da Grécia com pouquíssimas baixas. Com essa vitória, Filipe II focou suas atenções no norte e ao leste, buscando conquistar territórios persas. Após algumas vitórias onde hoje fica a Turquia, o rei macedônio foi assassinado, cabendo a seu filho assumir o trono macedônio. Sob o comando de Alexandre, o Grande, o antes acanhado reino grego se tornou o maior Império que o mundo havia visto, com conquistas até na África e na Índia. A cultura grega foi espalhada por vários locais do mundo…

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas