Pessoas

5 fatos sobre Amedeo Modigliani

Conheça mais sobre esse artista plástico e escultor italiano

 

1 – Um breve apanhado biográfico

Nascido de uma família judia em 12 de julho de 1884, na Itália, Amedeo Clemente Modigliani foi um artista plástico e escultor italiano que viveu parte significativa de sua vida adulta radicado em Paris. Ele ficou conhecido por ser um artista principalmente figurativo, tornando-se célebre sobretudo por seus retratos femininos caracterizados por rostos e pescoços alongados, à maneira das máscaras africanas.

 

Modigliani, Pablo Picasso e André Salmon em Montparnasse (1916).

 

2 –  O nascimento que salvou a família

Flaminio Modigliani e sua esposa Eugénie Garsin, pais de Amedeo Modigliani, tinham empobrecido, chegando à falência. Flaminio dedicava-se aos vários negócios da família, que incluíam mineração e agricultura na Sardenha, além de atividades comerciais em Livorno. Mas os negócios andaram mal. Foi o nascimento de Amedeo que salvou a família da ruína total, pois, de acordo com uma lei antiga, os credores não podiam tomar a cama de uma mulher grávida ou de uma mãe com um filho recém-nascido. Os oficiais de justiça entraram na casa da família, justamente quando Eugénie entrou em trabalho de parto. A família então protegeu seus pertences mais valiosos colocando-os por cima da cama da parturiente.

 

Cabeça (1911)

 

3 – Infância

Na infância, Amedeo sofreu de diversas doenças graves – pleurisia, tifo e tuberculose -, que comprometeram sua saúde pelo resto da vida e cujo tratamento forçava-o a constantes viagens, até sua mudança definitiva para Paris, em 1906. Também por causa da saúde precária não recebeu educação formal e voltou-se para o estudo da pintura, iniciado na cidade natal, que prosseguiu em Veneza e Florença. Teve uma estreita relação com sua mãe, que lhe deu aulas até que ele completasse dez anos, e começou a desenhar e pintar precocemente, antes mesmo de ir para a escola. Aos catorze anos, durante uma crise de febre tifóide, ele delirava e, em seu delírio, falava que queria acima de tudo ver as pinturas no Palazzo Pitti e nos Uffizi, em Florença.

 

Jean Cocteau , 1916, Henry e Rose Pearlman Collection, em empréstimo de longo prazo ao Museu de Arte da Universidade de Princeton.

 

4 – Estilo, pinturas e escultura

Fruto de diversas culturas, amigo de tantos artistas e encontrando-se numa conturbada fase de questionamentos e transições, sua obra entretanto não pode ser considerada filiada a nenhuma escola, sendo toda ela dotada de um estilo próprio e autônomo. Em 1906, Modigliani transferiu-se para Paris e, ao fim de três anos de vida boêmia, executa uma de suas obras mais importantes: O violoncelista, que expôs no Salão dos Independentes de 1909. Seus nus, que provocaram escândalo em seu tempo, revelam não sensualidade, mas um desnudamento da alma humana. Seu estilo faz parte de um momento em que a arte pictórica, confrontada à fotografia, lutava para manter seu espaço, seus valores e sua estética.

Além das pinturas, ele trabalhou por um bom tempo com esculturas. É muito provável que que ele tenha sido influenciado pela arte africana e cambojana, que provavelmente conhecera no Musée de l’Homme. Seu interesse pelas máscaras africanas é evidente no tratamento dos olhos de seus modelos. Entretanto, a partir de 1912, com o agravamento de sua doença, ele abandonou o trabalho com  esculturas e concentrou-se apenas na pintura.

 

Dedie Hayden , 1918, Centro Georges Pompidou.

 

5 – Últimos momentos
Como outros pintores e artistas do seu tempo, viveu a experiência da extrema pobreza. E assim veio a falecer aos trinta e cinco anos, vítima de meningite tuberculosa, agravada pelo excesso de trabalho, álcool e drogas e foi sepultado no famoso Cemitério do Père-Lachaise, em Paris.

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas