Pessoas

5 fatos sobre Arthur Conan Doyle

Conheça mais sobre esse importante escritor

 

1 – Infância e Juventude

Nascido em 22 de maio de 1859, Arthur Conan Doyle foi um escritor e médico escocês que se tornou mundialmente famoso por escrever os livros acerca dos casos do detetive Sherlock Holmes. De educação extremamente católica, concluiu o ensino médio numa escola jesuíta. Durante o colegial se tornou agnóstico, crença reafirmada na faculdade de Medicina, onde se formou em 1881. Algum tempo antes de se graduar, fez estágio em um navio baleeiro no Polo Norte.

 

Sherlock Holmes (à direita) e Dr. Watson, por Sidney Paget.

 

2 – Começo da Escrita

Formado, foi morar em Portsmouth, na Inglaterra, onde chegou quase sem dinheiro. Escrevia pequenas histórias desde a faculdade, mas não dava tanta importância para o potencial delas. Em 1887, publicou “Um Estudo em Vermelho” em uma revista. Esta foi a primeira vez que Sherlock Holmes apareceu e a estreia de Conan Doyle na Literatura.

 

Retrato de Arthur Conan Doyle por Sidney Paget, 1897.

 

3 – Estabelecimento como escritor

O médico e escritor se estabeleceu em Portsmouth, onde casou-se duas vezes, teve cinco filhos e se tornou um astro dos esportes locais. Foi goleiro amador de um clube de futebol, fez 10 partidas oficiais de críquete por um time da cidade e jogou boliche e golfe em ligas de renome também. Em 1890, Conan Doyle lançou seu segundo conto acerca de Sherlock Holmes: “O Símbolo dos Quatro”. O sucesso das histórias sobre o detetive chegou de vez em 1891. Mesmo com a fama recebida, achava que essas publicações o atrapalhavam de escrever coisas melhores.

 

Estátua de Arthur Conan Doyle em Crowborough, East Sussex.

 

4 – Morte e retorno de Sherlock Holmes

Em 1893, ao publicar “O Problema Final”, Conan Doyle resolveu matar Sherlock Holmes e seu maior inimigo, Professor Moriarty. Recebeu duras críticas dos seus leitores, mas aguentou a pressão por vários anos. O detetive só voltaria dez anos depois, no conto “A Casa Vazia”, no qual inventou uma forma para que Holmes tenha sobrevivido. Em 1902 recebeu o título de Sir do rei Eduardo VII.

 

Holmes e Moriarty lutando à beira das Cataratas de Reichenbach. Arte por Sidney Paget.

 

5 – Depressão e fim da vida

Conan Doyle escreveu outro sucesso em 1912: “O Mundo Perdido”, no entanto, sua paz acabou quando seu filho mais velho e um irmão morreram em decorrência de doenças adquiridas na Primeira Guerra Mundial. O médico escritor entrou em profunda depressão e recorreu ao Espiritismo para superar essas perdas. Na década final de vida passou a escrever livros espíritas. Faleceu em julho de 1930, com 71 anos de idade. Seu personagem mais famoso, Sherlock Holmes, se tornou uma das grandes figuras da Literatura de todos os tempos.

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas