Pessoas

5 fatos sobre Georges Lemaître

Conheça mais sobre esse importante belga

 

1 – Infância e juventude

Natural de Charleroi, na Bélgica, Georges Lemaître foi um padre, físico e astrônomo belga conhecido por seus trabalhos acerca da expansão do Universo. Ele nasceu em 17 de julho de 1894 e desde cedo teve uma educação religiosa, inclusive começando a estudar Engenharia Civil na Universidade Católica de Leuven. Sua faculdade teve que ser interrompida com a eclosão da Primeira Guerra Mundial. O futuro sacerdote lutou como oficial de artilharia, sendo considerado um herói de guerra pelo governo belga após o fim do conflito.

 

Georges Lemaître nas suas aulas.

 

2 – Seminário e início da carreira científica

Paralelamente aos seus estudos, Lemaître entrou no seminário para se tornar padre. Com a faculdade concluída, entrou no doutorado, onde também foi aprovado ainda em 1920. Em 1923, foi ordenado padre e conseguiu apoio para ir estudar em Cambridge, onde conheceu os novos termos em Astronomia e Cosmologia. Passou o ano seguinte pesquisando em Harvard e entrou no Programa de Doutorado em Ciências do Massachusetts Institute of Technology (MIT). Voltou para a Bélgica para escrever sua tese e dos seus estudos saiu uma teoria que mudaria o mundo.

 

Georges Lemaître entre Robert Millikan e Albert Einstein, Instituto de Tecnologia da Califórnia, Pasadena, 10 de janeiro de 1933

 

3 – O Big Bang

Lemaître e mais um físico soviético estudaram quase que simultaneamente a possível expansão do Universo. O último morreu em 1925 e coube ao padre belga dissertar teoricamente sobre algo que a maioria dos cientistas da época desacreditava. Em um artigo para um pequena revista científica belga, o sacerdote cientista propôs a “hipótese do átomo primordial“. Com pouca repercussão na época, seu ensaio foi publicado em inglês com a ajuda do seu amigo Arthur Eddington. Após essa brecha, ele conseguiu explicar sua teoria ao redor do mundo.

 

De acordo com a teoria do Big Bang , o universo emergiu de um estado extremamente denso e quente (singularidade). O próprio espaço tem se expandido desde então, transportando galáxias com ele, como passas em um pão crescente. O esquema gráfico acima é uma concepção de artista que ilustra a expansão de uma porção de um universo plano.

 

4 – A aceitação

Apenas em 1933, Lemaître recebeu a devida atenção da ciência e da mídia, sendo considerado um proeminente cientista. O padre, que era professor de Astrofísica na Universidade Católica de Leuven, acabou sendo convidado para fazer parte da Pontifícia Academia de Ciências, no Vaticano, chegando a ser presidente da instituição. Nos anos seguintes, além de seus trabalhos sobre o tema, cientistas como George Gamow e Edwin Hubble corroboraram a tese do Big Bang.

Em 1951, o Papa Pio XII declarou que a teoria de Lemaître era plausível para os católicos.

 

5 – Fim da vida

Em 1946 publicou um livro sobre o tema, L’Hypothèse de l’Atome Primitif (A Hipótese do Átomo Primitivo, em português). Esta obra logo foi traduzida para o inglês e espanhol. Em 1951, o Papa Pio XII declarou que a teoria de Lemaître era plausível para os católicos. O padre sempre separou seus trabalhos científicos da religião, dizendo que seu estudo era completamente neutro. Com a sua saúde deteriorando lentamente, parou de ensinar, mas continuou seus estudos em diversos assuntos de matemática e física. Pouco antes de falecer soube da notícia da descoberta da radiação cósmica de fundo em micro-ondas, uma prova empírica de que o Universo estava se expandindo constantemente. O teórico do Big Bang morreu em 1966, aos 71 anos de idade.  

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas