Pessoas

5 fatos sobre Luís Gama

Conheça mais sobre esse famoso abolicionista brasileiro

 

1 – Infância e juventude

Natural de Salvador, Luís Gama foi um famoso abolicionista, poeta e jornalista brasileiro. Nascido em 21 de junho de 1830, era filho de uma escrava liberta (Luiza Mahin) e de um aristocrata português. Sua mãe participou de duas revoltas de escravos na Bahia – Revolta dos Malês e Sabinada -, tendo que fugir para o Rio de Janeiro. Seu pai, homem rico,. mas viciado em jogos, o vendeu como escravo quando tinha 10 anos de idade para pagar dívidas. Desse modo, foi transferido para o Rio e depois para São Paulo, onde foi vendido para um alferes.

 

Uma quitandeira de Salvador do século XIX.

 

2 – A fuga

Luís Gama sofreu vários anos mesmo sabendo que era livre oficialmente. Somente aos 17 anos foi alfabetizado por um estudante que estava hospedado na fazenda na qual trabalhava. Em 1848, então com 18 anos, fugiu para São Paulo. Não se sabe como conseguiu provar que era um homem livre, mas se alistou no exército, onde ficou até 1854, afastado por insubordinação. Em 1850 já havia se casado com Claudina Gama, com quem teve um filho.

 

Um patacho, tipo de embarcação a velas no qual viajou Luís Gama, como escravo.

 

3 – Rábula

Na sua volta a São Paulo, Luís Gama frequentou várias aulas na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (saiba mais aqui). Ele não era aluno regular, por ser negro e sofrer preconceito, mas assistiu diversas disciplinas como ouvinte. Após a baixa no exército, recebeu autorização para ser rábula, uma espécie de advogado que não tinha cursado oficialmente o curso de Direito. A partir deste momento passou a defender escravos. Em 1856 o abolicionista se tornou escriturário da Polícia de São Paulo.

 

Gama, por volta de 1860.

 

4 – Jornalismo e poesia

Em 1859, publicou sua única obra Primeiras Trovas Burlescas, que o qualificou como grande poeta romantista. Em suas poesias publicadas em jornais e folhetins sempre se escondia sob pseudônimos, como Getulino, Afro e Barrabás. Em 1864 fundou o jornal Diabo Coxo, junto com um amigo ilustrador. Esse primeiro negócio se destacou por se comunicar muito através de caricaturas e desenhos, fazendo com que quem não soubesse ler pudesse entender a mensagem que eles queriam passar. Em 1869, fundou junto a Rui Barbosa (saiba mais aqui) o Jornal Paulistano. Em alguns anos Luís Gama se tornou um dos maiores abolicionistas brasileiros.

 

Busto de Gama, inaugurado em 1931 (Largo do Arouche, SP)

 

5 – Fim da vida

Era conhecido como “amigo de todos” e sempre que podia, ajudava financeiramente negros libertos que passavam por dificuldade. Em sua carreira, conseguiu libertar mais de 500 escravos. Luís Gama se tornou renomado por sua incrível oratória e por seu grande fervor. Também foi um líder maçom de grande importância em São Paulo. Luís Gama morreu aos 52 anos de idade em 1882. Infelizmente, a diabete tirou dele a chance de ver o fim da escravidão em 1888. Em 2015, 133 anos depois da sua morte, a OAB concedeu a ele o título de advogado.

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas