Pessoas

5 fatos sobre o último rei das Duas Sicílias

Conheça mais sobre esse importante governador

 

1 – Francisco II das Duas Sicílias foi o último rei do Reino das Duas Sicílias. Nascido em 16 de janeiro de 1836 era o filho mais velho de Fernando II. Foi o único descendente do primeiro casamento do pai, com Maria Cristina de Saboia. Governou por menos de dois anos, entre 1859 e 1861, sendo deposto pelo Reino da Sardenha no processo de unificação da Itália.

 

Fernando II. Rei das Duas Sicílias

 

2 – Nascido em Nápoles, capital do reino, Francisco foi mantido distante dos assuntos do governo até próximo da morte do pai. Isto fez com que não conseguisse manter o seu poder real por mais tempo. Se casou e assumiu o trono em 1859, com 23 anos.

 

Francisco II e sua esposa Maria Sofia da Baviera

3 – Como rei ficou conhecido pelas medidas liberais na economia e por importar trigo para vender por baixos preços a população carente dos seus domínios. O Reino das Duas Sicílias, do qual Francisco II era rei, foi formado originalmente em 1816, após o Congresso de Viena ter unido os Reinos de Nápoles e da Sicília então dominados por Napoleão Bonaparte. Esse reino italiano foi formado originalmente no século 12 apenas como Reino da Sicília. Em 1282 a parte continental e a ilha se dividiram em dois territórios diferentes, um mantendo um soberano de origem francesa e outro dominado por aragoneses. Apenas em 1816 houve a reunião dos domínios originais do primeiro reinado da Sicília.

 

Vítor Emanuel II de Saboia

 

4 – Em 1861, Vítor Emanuel II de Saboia tinha a intenção de unificar a Itália em um só reino. Com a ajuda de Giuseppe Garibaldi (figura importante na Revolução Farroupilha no Brasil), que invadiu o Reino das Duas Sicílias e com a contribuição de vários ministros e militares sicilianos, não teve resistência. Francisco II fugiu para Roma em fevereiro de 1861. Permaneceu exilado nos Estados Papais até 1870. Nessa época teve sua única filha em 1869, que viveu apenas 3 meses.

 

Maria Sofia da Baviera

 

5 – Passou ainda pela Áustria-Hungria e Alemanha antes de estabelecer residência em Paris. Viveu com grandes dificuldades financeiras neste período, se recusando a abrir mão de seu título real. Começou a adoecer com os anos. Em 1894, enquanto estava em tratamento em uma fonte de águas termais no atual norte da Itália (pertencia a Áustria-Hungria ainda) faleceu aos 58 anos de idade. Ficou conhecido pelo infeliz apelido de Francisquinho. Seus restos mortais foram enterrados em Nápoles apenas 90 anos depois da sua morte.

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas