6 curiosidades sobre Carlos Lineu

Conheça mais sobre o criador da taxonomia moderna

 

1 – Infância e juventude

Carlos Lineu (originalmente Carl Nilsson Linnæus, em sueco) foi um naturalista e médico sueco responsável pela invenção da classificação científica e da nomenclatura binomial, sendo considerado o criador da taxonomia moderna. Natural de Rashult, nasceu no dia 23 de maio de 1707. Filho de um pastor, nunca pretendeu seguir a carreira religiosa. Então decidiu cursar Medicina por conta dos seus interesses em botânica. Estudou em Lund e Uppsala, onde se tornou médico em 1732.

 

Capa de Systema naturæ (1758), a obra em que Lineu delineou a classificação das espécies de animais.

 

2 – Expedições e viagens

Assim que se formou, Lineu decidiu explorar a Lapônia, província ao norte da Suécia considerada quase desconhecida. Partiu em 1732 com o patrocínio da Academia de Ciências de Uppsala, retornando com muitos achados e as bases intelectuais da sua classificação científica das espécies de seres vivos. Dois anos depois viajou para outra província inóspita: Dalarna. Em 1735 decidiu viajar pela Europa para fazer o doutorado.

 

O Jardim Botânico de Lineu, em Upsália

 

3 – Países Baixos, Inglaterra e regresso

Em apenas alguns meses conseguiu seu doutoramento com um trabalho sobre a malária. Ao conhecer um famoso botânico holandês apresentou o rascunho da sua grande obra sobre taxonomia, que trazia a simplificação do nome dos seres vivos. É dito que a nomenclatura binomial foi inventada por naturalistas suíços, e que Lineu aperfeiçoou e popularizou a categorização. Foi para Londres em 1736, onde fez pesquisas e contato com vários intelectuais da época. Lineu ainda passou por Amsterdam, Paris e Leiden antes de regressar para a Suécia, em 1738.

 

Vista de Hartekamp do canal Leiden-Haarlem, com o jardim de George Clifford in Heemstede na actualidade.

 

4 – Fama e reconhecimento

Quando retornou, foi exercer a medicina e lecionar em Estocolmo, capital sueca. Neste momento, suas obras “Sistemas Naturais” (1735) e “Gêneros Botânicos” (1737) se tornaram famosas em todo o mundo ocidental. Em 1739 se casou e ajudou a fundar a Academia Real das Ciências da Suécia, uma das instituições que concede o Prêmio Nobel (saiba mais aqui) atualmente. Do casamento teve sete filhos, dos quais 5 chegaram à vida adulta.

 

Sepultura de Lineu e do seu filho Carolus Linnaeus na catedral de Upsália.

 

5 – Mais expedições e nobreza

Durante a década de 1740, Lineu voltou para Uppsala para ser professor na universidade local. Também participou de 3 expedições para estudar a fauna e flora sueca. Tinha muita fé nas obras que criara, chegando a criar o lema “Deus criou, Lineu organizou”. Ainda em 1745, ajudou a organizar a escala Celsius de temperatura, ajudando seu amigo Anders Celsius a classificar 0°C como ponto de fusão da água e 100°C para o ponto de ebulição. Por fim, em 1757, o naturalista sueco recebeu um título de nobreza do rei da Suécia, passando a assinar como Carl von Linné.

 

Busto de Lineu no Jardim Botânico de Wroclaw.

 

6 – Fim da vida

Continuou suas pesquisas nas décadas seguintes, mas passou a sofrer com crises de gota. Em 1774 sofreu um AVC que o deixou paralisado do lado direito do corpo. Em 1778, outro acidente vascular cerebral o tirou a vida enquanto via uma celebração na Catedral de Uppsala. Tinha 70 anos de idade. Lineu ficou famoso por seu trabalho na taxonomia, usado até hoje em dia, mas também por ser um excelente poeta e escritor. Também é conhecido como Carolus Linnaeus, versão em latim do seu nome.

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •