Pessoas

6 curiosidades sobre Gregório de Matos

Conheça mais sobre esse importante poeta

 

1 – Gregório de Matos Guerra foi um poeta luso-brasileiro do século 17. É considerado por muitos o maior expoente do barroco brasileiro, além de um dos maiores da língua portuguesa. Sua poesia satírica é apreciada como a mais ácida e de melhor qualidade do período colonial. Nascido em 23 de dezembro de 1636, era filho de uma família abastada.

 

Capa de uma edição contendo poemas de Gregório de Matos quase 100 anos depois da sua morte

 

2 – Foi morar em Portugal, onde cursou Direito na Universidade de Coimbra. Permaneceu por 20 anos em terras portuguesas, onde teve os cargos de juiz, delegado, procurador e de representante da Bahia nas Cortes do Império Português. Tinha a simpatia do rei D. Pedro II (não o do Brasil) e era casado com uma mulher da nobreza. Provavelmente, neste período iniciou seus poemas satíricos por influência dos poetas barrocos espanhóis.

 

Universidade de Coimbra

 

3 – No começo da década de 1680 sua sorte mudou radicalmente: sua esposa morreu e o monarca português e a nobreza não mais desejavam Gregório de Matos em sua corte, possivelmente porque o poeta fez algum poema que ridicularizou alguém importante. Voltou para a Bahia em 1681, como tesoureiro-mor do arcebispo de Salvador. Casou-se novamente, mas vivia uma vida boêmia e desinteressada, gastando toda sua herança sem se importar em economizar.

 

4 – Em Salvador continuou suas poesias satíricas, além de adicionar conteúdo erótico aos seus versos. Em 1685 foi investigado pela Inquisição, por desrespeito à Igreja e a Jesus Cristo. Sua fama como “Boca do Inferno” (por criticar padres, freiras e a Igreja) crescia à medida que andava em festas populares e nas tavernas cantando e rimando.

 

 

Fonte: L&PM

 

5 – Ganhou inúmeros inimigos durante os anos na Bahia. Gregório de Matos, mesmo com seu apelido e foco em poemas eróticos e satíricos, também fez vasta obra de poemas sacros, com um forte sentimento de culpa por seus pecados. Em 1694, foi deportado para Angola em vista de não ser executado. No ano seguinte pôde retornar ao Brasil,  mas foi proibido de morar na Bahia. Fez residência em Recife.

 

6 – No ano seguinte, com 59 anos de idade, Gregório de Matos veio a falecer, provavelmente por alguma doença contraída em Angola. Mesmo tendo vasto acervo, o poeta nunca publicou nenhum livro. No século 19 algumas das suas poesias foram publicadas em Portugal, mas apenas entre os anos 20 e 30 do século 20 as obras do “Boca do inferno” foram inteiramente lançadas em seis volumes. Gregório de Matos ficou postumamente conhecido por ser à frente do seu tempo e não se calar frente às injustiças da Bahia colonial.

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas