6 curiosidades sobre Nelson Rodrigues

Conheça mais sobre esse escritor, dramaturgo e jornalista brasileiro

 

1 – Infância e juventude

Natural do Recife, Nelson Rodrigues foi um escritor, dramaturgo e jornalista brasileiro. Nascido em 23 de agosto de 1912, se mudou para o Rio de Janeiro com apenas 4 anos de idade, para acompanhar sua família fugida por perseguições políticas em Pernambuco. Aos 13 anos, já trabalhava no jornal “A Manhã”, de propriedade do pai. Para completar, era repórter policial com essa idade e abandonou os estudos para trabalhar.

 

Sebastião Araujo, técnico do Fluminense, e Nelson Rodrigues, em 1979.

 

2 – Tempos conturbados

Em 1928, publicou seu primeiro artigo, mas no mesmo ano seu pai perdeu o jornal para um sócio. Sem nem pensar, sua família fundou o jornal “A Crítica”, que rapidamente conseguiu sucesso no Rio de Janeiro. Após a veiculação de uma matéria polêmica, uma mulher entrou na redação do jornal e assassinou a tiros seu irmão Roberto. Deprimido, seu pai, Mário, morreria poucos meses depois. Rapidamente, Nelson e seus familiares entraram em uma grave crise financeira.

 

Casamento de Nelson Rodrigues e Elza Bretanha, 1940.

 

3 – A volta por cima

A família Rodrigues chegou a passar fome em alguns momentos nos anos seguintes. Nelson começou a trabalhar no jornal “O Globo”, mas logo descobriu que tinha tuberculose. Após se recuperar no interior de São Paulo, voltou para o Rio e começou a contribuir com o Jornal dos Sports, no qual seu irmão Mário Filho era sócio. Torcedor roxo do Fluminense, suas crônicas esportivas marcariam época. Além de trabalhar n’O Globo, também contribuiu em diversos outros jornais.

 

Camila Amado e Norma Benguell na pela “Vestido de Noiva”, de Nelson Rodrigues

 

4 – O Teatro entra em cena

No ano de 1940, Nelson Rodrigues se casou com uma colega de redação. Em 1941, escreveu sua primeira peça, “A Mulher sem Pecado”, que foi encenada no ano seguinte. Em 1943 lançou seu primeiro grande sucesso, “Vestido de Noiva”, obra que revolucionou o Teatro brasileiro. Nos anos seguintes, continuou a escrever para o meio teatral, mas também iniciou sua trajetória como romancista, ao adotar o pseudônimo Suzana Flag e escrever “Meu Destino é Pecar” (1944).

 

 

5 – Mudanças

Em 1945, deixou O Globo e foi para “O Jornal”, contudo, cinco anos depois seria contratado pelo “A Última Hora”. Foi neste último meio de comunicação que iniciou a série de contos “A Vida Como Ela É”. Considerado imoral por muitos, retratava a vida com a realidade escondida da sociedade, cercada de adultérios, luxúria e pecados. Várias de suas peças foram censuradas inicialmente, sendo realizadas vários anos depois. Com a criação da TV Globo, é contratado e retorna para o jornal pelo qual trabalhara até os anos 40.

 

Estátua de Nelson Rodrigues em Copacabana

 

6 – Fim da vida

Ainda nos anos 60, já consagrado, ainda escreveu para o Teatro: “Bonitinha, mas Ordinária” (1962) e “Toda Nudez Será Castigada” (1965). Esta última, foi adaptada para o cinema e premiada no Festival de Berlim. De ruim na sua carreira, o apoio a ditadura militar que se instaurou nos anos 60 no Brasil. Em 1970 começou a sofrer com graves problemas gástricos e cardiorespiratórios. Em 1972, fez o compilado dos principais contos de “A Vida Como Ela É”. Nelson Rodrigues acabou falecendo em 1980 por complicações cardíacas e respiratórias, após 10 dias de internação. Tinha 68 anos de idade e deixou um grande legado para o jornalismo, a literatura e o teatro no Brasil.

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •