6 curiosidades sobre Pete Maravich

Conheça mais sobre esse jogador de basquete norte-americano

 

1 – Infância e juventude

Peter Press Maravich, apelidado de “Pistol Pete” Maravich, foi um jogador de basquete norte-americano nascido em 22 de junho de 1947. Natural do estado da Pensilvânia, era filho de um jogador e treinador de basquete. Seu pai o convenceu a treinar exaustivamente desde muito cedo, visando melhorar suas habilidades no esporte. Ele treinava sua batida de bola em atividades como andar de bicicleta, por exemplo. Sua fome de se tornar o melhor o fazia passar praticamente 16h do dia treinando.

 

Maravich (com a bola) em 1974.

 

2 – Uma lenda colegial e universitária

Após uma boa carreira colegial, Pete Maravich foi convidado por seu pai para estudar e jogar pela Louisiana State University (LSU), na qual era treinador. No seu primeiro ano não podia atuar pelo time principal por regras da competição, mas jogando pelos calouros demonstrou que era um fenômeno: acumulou uma média de 43.6 pontos por jogo. Era aparente que não havia nenhum tipo de jogada ofensiva que o jovem não poderia fazer. Ele combinava um grande controle de bola, uma ótima visão de jogo e uma excelente capacidade de pontuação. Nos três anos seguintes, jogou pelo time principal da universidade e assombrou o país: teve médias de 43.8, 44.2 e 44.5 pontos por jogo. Esses números o fizeram ser o jogador com maior pontuação em uma temporada, além de ser o recordista de pontos totais, com 3.667 em sua carreira universitária

 

Maravich na LSU em 1967.

 

3 – NBA

As atuações de Maravich chamaram a atenção da NBA, principal liga de basquete do mundo. Mesmo com suas pontuações estratosféricas, o jovem de 23 anos não conseguiu levar a LSU para o caminho das vitórias. Desse modo, ele foi escolhido “apenas” como terceiro lugar pelo Atlanta Hawks na lista de jogadores vindos das universidades. Calouro, recebeu um contrato absurdo para a época: 1.9 milhão de dólares, o que causou ciumeira nos vestiários. No entanto, o extraquadra parece não ter afetado Pistol Pete, que teve uma média de 23.2 pontos por jogo em sua temporada de estreia. Ele acabou sendo escolhido para o time dos estreantes da NBA.

 

Maravich em 1977.

 

4 – Carreira consolidada

Mesmo jogando muito bem, Maravich parece não ter chegado ao máximo de seu potencial no nível profissional. No seu segundo ano, caiu de produção e viu outros companheiros se destacarem mais. Em 1972-1973, o jogador alcançou marcas expressivas de 26 pontos e 7 assistências por partida, sendo escolhido para seu primeiro Jogo das Estrelas (All-Star Game), realizado entre os melhores jogadores da NBA. Jogou ainda mais um ano por Atlanta até ser contratado pelo New Orleans Jazz, time que estava sendo criado em uma expansão e que ficava localizado no estado em que Pistol Pete era uma lenda: a Louisiana.

 

Pete Maravich assinou Falcão Vintage 1973 Sports Illustrated Magazine (JSA ALOA)

 

5 – Declínio

Na chegada ao Jazz, Maravich encontrou problemas de adaptação, só conseguindo retomar seu melhor jogo no segundo ano de clube, porém, não conseguia levar o seu time a boas temporadas, sempre tendo mais derrotas que vitórias. Em 1976-1977, Pistol Pete atingiu seu auge, conseguindo uma média de 31 pontos por jogo e sendo selecionado para o time dos melhores da temporada. No ano seguinte seus problemas físicos se iniciaram: perdeu 32 jogos por conta de uma cirurgia no joelho, uma infecção e uma tendinite no outro joelho. Mesmo assim continuava mantendo bons números. Em 1978-1979, mais lesões e queda nas estatísticas. Para completar, no campeonato de 1979-1980, o time se mudou de New Orleans para Salt Lake City, em Utah. Essa mudança ocasionou a perda de espaço da lenda da Louisiana na rotação da equipe.

 

Pete Maravich morreu apenas oito meses depois de seu pai (à esquerda). (Getty)

 

6 – Fim de carreira

Em 1980 ele foi demitido dos Jazz e prontamente contratado pelo Boston Celtics, no qual jogou até o final da temporada. Maravich decidiu se aposentar por não aguentar mais os problemas nos joelhos. Em sua carreira de 10 anos na NBA fez mais de 15 mil pontos. Depois do fim da carreira, se tornou recluso por 2 anos, em uma busca por paz e saúde. Se converteu ao hinduísmo e se tornou vegetariano. Posteriormente, se tornou evangélico e estava muito feliz com sua família. Em 1987, Pistol Pete foi selecionado para o Hall da Fama do Basquete, sendo um dos mais jovens da história a receber tal honra. Enquanto estava jogando uma pelada no ginásio de uma igreja na Califórnia em janeiro de 1988, o ex-jogador sofreu um infarto fulminante, tendo falecido com apenas 40 anos. Após sua morte, foi descoberto que ele tinha um defeito congênito no coração.

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •