Pessoas

6 fatos sobre Nicolau Nasoni

Conheça mais sobre esse importante artista

 

1 – Infância e Juventude

Nascido em 2 de Junho de 1691, Nicolau Nasoni foi um artista, decorador e arquiteto italiano que desenvolveu grande parte da sua obra em Portugal, considerado um dos mais significativos arquitetos da cidade do Porto. Antes de se mudar para a cidade do Porto, Nasoni viveu em Siena, onde aprendeu pintura e artes decorativas, e provavelmente arquitetura. Aos 21 anos, ele era o responsável pelo cadafalso para a Catedral de Siena.

 

Antigo Palácio Episcopal do Porto com vista para a Ribeira no Porto

 

2 – Vida acadêmica

Para melhor se inserir no meio artístico, Nasoni ingressou numa academia de artes — a Accademia dei Rozzi (Academia dos Rudes). Em 1715 a Accademia dei Rozzi escolheu Nasoni para a execução dos trabalhos artísticos da nomeação do novo arcebispo de Siena, uma figura importante, sobrinho do Papa Alexandre VII. Sempre que participou nestas celebrações, as suas obras causaram sucesso, quer pela riqueza das decorações, quer pela técnica da construção. Apesar de ser uma arte breve, não passou despercebida a muitos.

 

Igreja dos Clérigos

 

3 – Siena, Roma, Malta e cidade do porto

Nasoni mudou-se de Siena para Roma e, mais tarde, para Malta, onde deu os primeiros passos em arquitetura. Foi nesta ilha que assinou e pintou um teto no palácio de Valeta, em 1724. Após deixar a ilha de Malta, em 1725, ele partiu rumo a cidade do Porto que, então, se encontrava em plena revolução artística. Ele iniciou um trabalho de pinturas na Sé do Porto. Na época, a Sé — um edifício de matriz românica — encontrava-se em profundas remodelações e foi um dos primeiros edifícios da cidade a sofrer diversas adaptações do estilo barroco.

 

Torre da Igreja dos Clérigos.

 

4 – Vida pessoal

Em 31 de Julho de 1729 ele casou-se com D. Isabel Castriotto Riccardi, que viria a falecer um ano mais tarde (1730), muito provavelmente na sequência de complicações no parto do seu único filho, de nome José, nascido alguns dias antes, a 8 de Junho. Também em 1731 Nicolau Nasoni voltou a casar-se, desta vez com uma portuguesa, Antónia Mascarenhas Malafaia, da qual teve cinco filhos.

 

Obra de Nicolau Nasoni

 

5 – Obras

A sua obra inclui uma parte importante da arte barroca e rococó, chegando a envolver alguns dos melhores e mais significativos edifícios do século XVIII do Porto e arredores. Seguindo o espírito e tradição da Renascença italiana, Nasoni dedicou-se a inúmeros trabalhos artísticos, desde a pintura à ourivesaria, com singulares tradições no Porto. Contando com o apoio de ricos mecenas, tornou-se uma espécie de Miguel Ângelo da cidade que, em pouco tempo, lhe soube reconhecer o devido valor. A partir daí, realizou inúmeros trabalhos no Porto e um pouco por todo o Norte de Portugal, dos quais se destacam a fachada principal da Igreja do Senhor Bom Jesus (em Matosinhos), o corpo central do Palácio de Mateus (em Vila Real), a fachada da Igreja da Misericórdia, o Palácio do Freixo e a Igreja e Torre dos Clérigos (todos situados na cidade do Porto).

 

Obra de Nicolau Nasoni

 

6 – Dias finais e legado

Na verdade, subsiste ainda discussão relativamente a que obras efetivamente Nicolau Nasoni projetou, havendo várias aqui mencionadas cuja autoria suscita dúvidas a vários historiadores de arte. Ele morreu na pobreza em 30 de Agosto de 1773 e embora ultimamente se diga que foi sepultado na cripta da Igreja dos Clérigos, a cripta ainda não existia quando morreu.

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas