7 curiosidades sobre o Zimbabwe

Saiba mais sobre este interessante país africano

 

1 – A República do Zimbabwe é um país africano localizado no sul do continente. Faz fronteira com a África do Sul, Moçambique, Botswana e Zâmbia, não tendo acesso para o mar. A nação se tornou independente de fato em 1965, com o nome de Rodésia, mas apenas em 18 de abril de 1980 teve sua independência reconhecida com o atual nome.

 

Localização do Zimbabwe (em verde) na África

 

2 – O Zimbabwe possui cerca de 16 milhões de habitantes. A capital zimbabuana é Harare, que conta com mais de 1,5 milhão de moradores, sendo a maior cidade do país. Outra cidade que se destaca é Bulawayo. Apenas 35% dos zimbabuanos vivem em zonas urbanas. Como a maioria dos Estados africanos, há uma grande diversidade de etnias e idiomas presentes. Por exemplo, além do inglês, há mais 15 idiomas considerados oficiais. Destes, o Shona (Xona) e o Ndebele são os mais populares, acompanhando os dois maiores grupos étnicos do país, que têm o mesmo nome. Na religião, o cristianismo domina: protestantes (neopentecostais e de igrejas tradicionais) representam 65%, 10% são católicos e mais 10% seguem religiões tradicionais africanas. Os demais são muçulmanos, agnósticos e ateus.

 

Vista aérea da capital do Zimbabwe, Harare

 

3 – Possui uma área total um pouco maior do que 390 mil km², sendo pouco maior do que o estado de São Paulo. De clima tropical, a maioria do território do Zimbabwe se encontra coberto pelas savanas. Há também uma grande quantidade de planaltos. O ponto mais alto do país alcança 2558 m. Uma das maiores belezas naturais do país é a presença das Cataratas de Victoria, localizadas na fronteira com a Zâmbia. As quedas são formadas principalmente por águas do Rio Zambeze e alcançam mais de 100 m de altura e 1,5 km de largura.

 

As espetaculares Cataratas de Victoria

 

4 – Como muitos países africanos, o Zimbabwe é um país pobre e com baixo nível de desenvolvimento. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,516, sendo considerado um dos mais baixo do mundo. Há também uma baixíssima renda média da população. Desde a década passada o país passa por graves problemas econômicos. A hiperinflação desestabilizou completamente a economia local: o Dólar Zimbabueano – antiga moeda zimbabuana – não se encontra mais em circulação. Seu uso foi trocado pelo Dólar Americano, Rand sul-africano, o Euro e as demais moedas dos Estados vizinhos. Nos últimos anos, as medidas tomadas fizeram com que houvesse um leve crescimento econômico, mas ainda muito abaixo do esperado.

 

A hiperinflação destruiu o valor do Dólar Zimbabueano. Esta nota de 100 trilhões foi impressa em 2008. Este valor evidencia a completa desvalorização da moeda do Zimbabwe. Foi a nota oficial com maior valor impressa na história da humanidade.

 

5 – O Zimbabwe é um país com grave histórico autoritário. O mais conhecido de seus ditadores é Robert Mugabe, que governou de 1987 a 2017, sendo deposto por um golpe de estado (saiba mais aqui). Até hoje, de fato há um regime de partido único, mesmo que na Constituição é descrito que o Estado zimbabuano seja uma República Presidencialista. O Poder Legislativo é dividido em duas casas. O país é dividido em 10 províncias.

 

Robert Mugabe foi ditador do país entre 1987 e 2017

 

6 – Mesmo tendo assentamentos humanos desde a pré-história, o primeiro tipo de sociedade organizada presente no Zimbabwe foi os Estados Shona, identificados desde o Século X. Em suas áreas mais próximas do Oceano Índico, surgiu o Reino de Mapungubwe, um sofisticado Estado que comercializava com os árabes. Depois, surgiu o Reino do Zimbabwe, que adicionou os portugueses e demais povos europeus em suas rotas de comércio. Por sua vez, ascendeu o Reino de Mutapa, que abarcava os atuais territórios zimbabuanos e moçambicanos. Por fim, apareceu o Império Rozwi, que expulsou os portugueses da área no final do Século 18. Por volta de 1820, o dissidente clã zulu (da África do Sul) dos Ndebele chegou nas terras do Zimbabwe e dominou diversas áreas. Nesse período de instabilidade, os ingleses se aproveitaram e conquistaram os dois povos. Esse controle ocorreu até 1965, quando a Rodésia se tornou independente, mas não reconhecida formalmente. Apenas com a criação da República do Zimbabwe, em abril de 1980, esse reconhecimento ocorreu.

 

Kirsty Coventry, nadadora zimbabuana vencedora de 7 medalhas olímpicas

7 – A cultura zimbabuana é bem variada. Há uma grande variedade de trabalhos em cerâmica, música, artesanato em palha e madeira, além de produção têxtil e de jóias. Houve uma mistura de hábitos britânicos e africanos na culinária local. Os habitantes do país apreciam muito o teatro, havendo diversas companhias que se apresentam nas áreas urbanas. Nos esportes, a nadadora Kirsty Coventry é uma heroína nacional. Uma das poucas brancas nascidas no Zimbabwe, ela é detentora de 7 medalhas olímpicas (2 ouros, 4 pratas e 1 bronze). A única outra medalha olímpica conquistada pelo país foi um ouro no hóquei na grama conquistado em 1980 pela seleção feminina zimbabuana.

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •