Pessoas

7 fatos sobre Oskar Schindler

Saiba mais sobre a vida desta grande figura da Segunda Guerra Mundial

 

1 – Nascido em Svitavy (atual República Tcheca), Oskar Schindler é um dos personagens mais famosos e controversos de toda a Segunda Guerra Mundial. Nasceu em 28 de abril de 1908, ainda no antigo Império Austro-Húngaro, na região da Morávia. Se graduou no ensino médio, mas preferiu fazer cursos técnicos ao invés de cursar a faculdade. Em 1928 se casou com Emilie Pelzl (após o casamento Schindler) e até 1931 passou por diversos empregos e ocupações.

 

Oskar e Emilie Schindler

 

2 – De personalidade rebelde, sempre foi um beberrão e mulherengo. Foi preso duas vezes na sua juventude por embriaguez em local público. Até 1935 teve 2 filhos em um caso amoroso com uma ex-colega de escola, mas nunca ligou muito para eles em toda a sua vida. Em 1936 foi recrutado como espião da Abwehr, o serviço secreto alemão. Em 1938 foi preso pelo governo tcheco por seus trabalhos de espionagem, mas com a invasão alemã, Schindler foi solto e ainda se tornou membro do partido nazista em 1939.

 

Schindler (ao centro) acompanhado de oficiais alemães

 

3 – Teve papel importante na invasão alemã da Polônia, fato que iniciou a Segunda Guerra. Nesta época, já era um dos líderes da Abwehr. Se aproveitando da dominação do território japonês, abriu uma fábrica de esmaltados para as Forças Armadas alemãs. Neste local empregava em sua maioria judeus. No início, Schindler era um oportunista que viu a oportunidade de ficar rico com a guerra. No entanto, ao presenciar as prisões, mortes e desaparecimento de judeus em Cracóvia, começou a mudar seus ideais.

 

Fábrica de Schindler em Cracóvia. Foto de 2011

 

4 – Aos poucos, foi empregando cada vez mais trabalhadores de origem judaica. Mesmo rico e com muita influência entre os oficiais e burocratas nazistas, Schindler teve que subornar várias pessoas para conseguir manter sua rede de apoio aos judeus. Até 1943 conseguiu manter seus empregados com certa segurança, mas após a destruição do Gueto de Cracóvia e da chegada do oficial Amon Göth, homem terrível, o empresário tcheco teve que se desdobrar ainda mais para salvar as pessoas que trabalhavam e sua fábrica. Neste período foi detido por 3 vezes, por suspeitas de contatos no mercado negro e por sua relação próxima aos judeus.

 

Amon Göth

 

5 – Em 1944, com a aproximação do Exército Vermelho (saiba mais aqui), os campos de concentração e as fábricas nazistas foram sendo deslocados mais para o oeste. Isto fez com que Schindler tivesse que mudar sua produção de utensílios esmaltados para armas e explosivos, em mais uma tentativa de manter vivos seus 1200 funcionários. Conseguiu mudar seu negócio para Brünnlitz (atual Brněnec, na República Tcheca) através de muitos subornos e contatos. Com a ajuda de Mietek Pemper, o secretário pessoal de Göth, iniciou a produção da famosa lista de pessoas que pretendia salvar. Esse fato remonta ao conhecido e premiado filme “A Lista de Schindler” (1993), vencedor do prêmio de melhor filme do Oscar de 1994.

 

Poster original de “A Lista de Schindler” (1993)

 

6 – Com a provável derrota alemã, Schindler perdeu toda sua fortuna com subornos, comida e remédios para que seus protegidos não morressem ou fossem levados para os campos de extermínio nazistas. Em janeiro de 1945, mais 250 judeus chegaram em Brünnlitz via trem. Muitos haviam morrido de frio ou estavam em péssimas condições de saúde. Neste ponto, Emilie teve papel fundamental no tratamento dos novos “contratados da fábrica”, já que seu marido ficava muito tempo em outras cidades comprando suprimentos e dando propinas a oficiais alemães. Com o fim da guerra, foi descoberto que Oskar Schindler e sua mulher haviam salvado mais de 1200 judeus da morte.

 

Sepultura de Schindler em Jerusalém

 

7 – Completamente falido, passou a viver de ajudas da comunidade judaica. Na década de 50 foi morar na Argentina, mas seus negócios não deram certo. Viveu até 1974, sempre cercado de problemas financeiros e constantemente sendo sustentado pelas famílias das pessoas que havia salvado. Segundo sua viúva, gastou a maior parte deste dinheiro com mulheres e bebidas. Morreu aos 66 anos de idade e foi enterrado no Monte Sião, em Jerusalém. Recebeu um título especial para as pessoas de outras religiões e povos que contribuíram com o salvamento de judeus na Segunda Guerra. Mesmo sendo um personagem controverso, Oskar Schindler foi um dos nomes mais interessantes da Segunda Guerra, pela sua redenção.

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas