Entrevistas

Entrevista com Alixandre Santana

Saiba mais sobre este professor universitário que busca incentivar a inovação e o empreendedorismo em Garanhuns

 

Nome: Alixandre Thiago Ferreira Santana

Idade: 33 anos

Profissão: professor universitário na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), na Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG).

 

CONTE-NOS UMA BREVE BIOGRAFIA SUA.

 

Vou me restringir ao profissional pelo menos, certo? Bem, terminei Engenharia da Computação na UFRN em 2006. Trabalhei como analista de desenvolvimento de sistemas no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte por cerca de dois anos e meio. Depois comecei o mestrado na UFRN em Gestão de Tecnologia da Informação e surgiu a oportunidade de um concurso na Agência de Tecnologia da Informação em Recife. Lá, a gente trabalhava com contratos de governo, analisava compras governamentais na área de tecnologia e fazia consultoria no âmbito do planejamento estratégico de TI.

 

Vista aérea da Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG/UFRPE)

 

A partir deste momento foi quando decidi tentar realizar um desejo antigo de ser professor. Apareceu a oportunidade e cá estamos oito anos depois em Garanhuns. Cheguei na UAG em 2010, onde já ensinei Introdução à Programação, Metodologia Científica. Já passei por várias disciplinas, mas hoje estamos com Gerenciamento de Projetos e Empreendedorismo, que é o foco do evento no qual estamos.

 

APROVEITANDO O ENSEJO, QUERÍAMOS QUE VOCÊ EXPLICASSE COMO SURGIU A IDÉIA PARA A REALIZAÇÃO DO WTEIA.

 

A idéia do evento é um desejo antigo, que estava adormecido por conta de outros projetos. Desde que eu cheguei aqui, na verdade, tentamos fazer algumas coisas na área, como o Projeto Salas Empreendedoras, que adaptamos da UPE. Tivemos também o primeiro Fórum de Tecnologia da Informação e Comunicação em 2011, com o professor Ornilo e professor Gabriel, que não está mais aqui com a gente. Preciso destacar outros professores do IF(PE) que também não estão mais em Garanhuns, assim como a UPE, com Haroldo na época.

 

 

Na verdade, acho que é um desdobramento daquele evento lá atrás, que agora pudemos fazer com mais tempo para pensar neste projeto. Então, resolvemos fazer esse workshop para tentar integrar pelo menos essas quatro instituições de ensino superior (AESGA, IFPE, UPE e UFRPE) nesse primeiro momento, mas a gente pensa em se juntar com as outras universidades particulares e o ensino técnico profissionalizante, agentes de desenvolvimento como o SEBRAE e CDL, além do próprio governo municipal.. Enfim, o SENAC também está dentro do evento. Desse modo, a idéia é essa: integrar as pessoas que têm relação com o empreendedorismo para discutir iniciativas para fomentar essa área em Garanhuns.

 

VOCÊ PODERIA EXPLICAR PARA O PÚBLICO QUAL O OBJETIVO DO WTEIA?

 

Certo! O próprio nome parece estranho a princípio, mas é Workshop de Tecnologia, Empreendedorismo e Inovação do Agreste Pernambucano (saiba mais aqui). O TEIA não vem sem nenhum sentido, foi escolhido de propósito para passar uma imagem que a precisamos criar uma espécie de teia para suportar as pessoas que querem empreender na área de tecnologia na cidade.

Então, a gente percebia que os projetos dos alunos acabam morrendo nas disciplinas por falta de continuidade deste apoio. Por isso, queremos justamente criar mecanismos para que esses projetos acabem se tornando negócios, formas de gerar renda para esses alunos, de forma que eles não precisem migrar para grandes centros e fiquem aqui para desenvolver a região (saiba mais aqui).

 

ALIXANDRE, JÁ QUE ESTAMOS NO ÚLTIMO DIA DO EVENTO, GOSTARÍAMOS DE SABER QUAL O BALANÇO DO WTEIA PARA VOCÊ?

 

Em termos de participação nas palestras o balanço é positivo. A gente recebeu elogios de vários participantes, tanto de palestrantes, quanto de conferencistas. Houve muitos elogios para a equipe que organizou o WTEIA também. Enfim, acho que criou-se uma sinergia inicial entre os participantes e os organizadores. Uma certa empolgação surgiu entre as pessoas que apareceram no evento e acredito que com as ações que estamos pensando para os próximos meses, é bem provável que haja uma continuidade. A idéia é não deixar isso escapar.

 

Foto de um dos momentos do WTEIA, evento realizado em Garanhuns entre os dias 23 e 25 de abril deste ano

 

PARA FINALIZAR: COMO PROFESSOR DA UAG, COM A FUTURA CRIAÇÃO DA UFAPE QUAL O IMPACTO QUE TERÁ NESTE EVENTO?

 

Bem, a UFAPE (saiba mais aqui) tem uns três anos para virar realidade, acredito eu. Então, este é um momento de pensar estruturas dentro da nova universidade que reflitam a estratégia de empreendedorismo e inovação. Penso que é um gancho interessante para que a universidade e a sociedade discutam que mecanismos podem contribuir dentro da organização da UFAPE para que haja algum tipo de fomento para a promoção do empreendedorismo na região.

Finalmente, gostaria de agradecer o empenho da equipe de mais de 20 pessoas que ajudaram a executar o projeto do evento WTEIA, tornando-o realidade, bem como os parceiros institucionais e patrocinadores. O evento é um exemplo de que se todos trabalharmos colaborativamente podemos contribuir mais para o desenvolvimento de Garanhuns e região.

 

  • 83
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas