Entrevistas

Entrevista com Leandro Santos

Saiba mais sobre este mestre cervejeiro que atua em Garanhuns

 

Nome: Leandro Santos de Oliveira

Idade: 43 anos

Profissão: químico industrial e mestre cervejeiro da Grunhsbier (conheça mais aqui)

 

CONTE-NOS UMA BREVE BIOGRAFIA SUA.

 

Sou carioca, mas agora estou fixado em Garanhuns e me considero cidadão garanhuense. Me formei em Química Industrial, tenho pós-graduação em Qualidade e Produtividade e mestrado em Engenharia Urbana e Ambiental. Atualmente, sou químico em uma empresa de refrigerantes, e meio entediado, resolvi fazer uma coisa diferente, a cerveja.

Em 2015 comecei a fazer minhas experiências cervejeiras no meu apartamento. Me mudei para uma casa e continuei fazendo cerveja. Chamava os amigos para degustar e o negócio foi criando corpo, o pessoal foi achando legal. Desse modo, apareceu uma oportunidade de parceria na empresa que trabalho. Estava procurando um parceiro, um sócio para investir e acabou que os donos do local onde trabalho gostaram do produto e me convidaram para fazer parte desta “brincadeira”. Desde então, me arranjaram um espaço dentro da empresa, montamos um galpão, construímos uma cozinha cervejeira e a coisa foi dando certo!

 

Créditos: Grunhsbier

 

LEANDRO, VOCÊ PODERIA FALAR UM POUCO COMO ESTÁ O STATUS ATUAL DA GRUNHSBIER?

 

Atualmente estamos em Garanhuns com três fermentadores para fazer cerveja. Começamos com dois estilos: a weiss, um estilo alemão de gosto suave para iniciantes, fácil de beber. O segundo tipo é a APA (American Pale Ale), estilo americano, que já tem uma lupulagem, um amargor e teor alcóolico maiores. Hoje estamos aqui no Stand da Grunhsbier (entrevista gravada durante o Festival Viva Dominguinhos) já inaugurando nosso terceiro sabor, que é uma coffee stout, uma cerveja escura que tem uma adição de café no final da fermentação. Pegamos um café puro, frutado, lá de Minas Gerais, que combina bem com o estilo. Colocamos tudo na receita e hoje estamos degustando e fazendo esta festa no Viva Dominguinhos.

 

QUAIS AS METAS E A INSERÇÃO DA GRUNHSBIER NO MERCADO?

 

Bem, a gente está no estado que mais tem crescido na produção de cervejas artesanais. Até três anos atrás as pessoas só conheciam Sul e Sudeste. Então, hoje em dia, quando pensamos em Nordeste, quem está “bombando” é Pernambuco. Em 2016 a primeira cerveja artesanal pernambucana foi criada em Recife, e neste curtíssimo período de tempo já há 13 ou 14 empresas do ramo devidamente registradas. Desse modo, podemos perceber um crescimento absurdo.

 

Créditos: Grunhsbier

 

O que espero da Grunhsbier é ser conhecida, levar a cerveja para todo o Nordeste, mas primeiramente estamos fazendo um trabalho de consolidação em Garanhuns. Queremos ser uma cervejaria referência na cidade e estamos trabalhando para isto. Pretendemos tornar a cerveja uma parte importante do circuito turístico de Garanhuns e consolidar a marca. Depois poderemos ganhar o estado, quem sabe o Brasil e tudo mais.

 

DE ONDE SURGIU ESSA VONTADE DE SER MESTRE CERVEJEIRO?

 

Essa questão de cervejaria surgiu desde quando me formei em Química Industrial. A minha formação teve o foco em bebidas. Então, trabalhei anos e anos com água mineral, refrigerantes e sucos. Mas havia um nicho de mercado que eu ainda não tinha participado, que era o de bebidas alcóolicas. Este é um sonho que tenho desde 2000, se não me engano.

Agora, com esse “boom” do mercado de (cervejas) artesanais e a facilidade que a gente tem de conseguir os insumos, que antigamente era uma coisa inviável, vimos a oportunidade surgir na nossa frente. Atualmente observamos esse crescimento absurdo no Brasil, e conseguimos, por exemplo, pegar um malte belga ou lúpulo tcheco ou americano. Hoje em dia, o mundo globalizado faz com que tenhamos essa facilidade. Com essa facilitação, comecei a pesquisar mais esta área.

 

LEANDRO, QUAIS OS APRIMORAMENTOS E ESTUDOS NECESSÁRIOS PARA CHEGAR NESSE NÍVEL?

 

Passei a estudar bastante em casa. Primeiro na internet e Youtube, que me ajudaram muito. Posteriormente fui a Blumenau-SC, na Escola Superior de Cerveja e Malte (saiba mais aqui), onde fiz uma especialização em Microbiologia. Em Recife fiz os cursos de cervejeiro, degustação e sobre os aromas dos ingredientes da cerveja. Em 2016 já comecei a dar os meus primeiros cursos na área de cervejaria. A gente foi crescendo com a bagagem.

 

Curso realizado em Garanhuns por Leandro Santos

 

Em Garanhuns, quando eu iniciei, não havia o mercado e nem o público, então, uma coisa legal que fiz, em paralelo a cerveja que estava começando a desenvolver, foi dar um curso cervejeiro. Inclusive, ele ocorreu no ano passado. Desse curso, formei cerca de 20 cervejeiros. Atualmente, conheço 15 cervejeiros de panela, que chamam o pessoal para preparar a bebida em casa e fazer a festa. Portanto, espero fomentar o crescimento da Grunhsbier na parte industrial e a formação de um público consumidor da cerveja artesanal.

  • 8
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas