Garanhuns e Pernambuco

A nova universidade do Agreste

Saiba mais sobre esta excelente notícia para o Agreste de Pernambuco

 

 

 

Por Victor Ávila

 

 

Na última terça-feira recebi, entre a neve que me rodeia, uma notícia que me deixou muito feliz: a Unidade Acadêmica de Garanhuns, a querida UAG, teve seu processo de emancipação aprovado na Comissão de Educação do Senado Federal.

O processo foi inteiramente desenvolvido por todos que compõem a Unidade: professores, técnicos e alunos. Inclusive, participei na subcomissão de identidade institucional, a qual deu à nova Instituição o nome de Universidade Federal do Agreste (UFAPE).  

A participação acadêmica foi espetacular: trouxe a união que a instituição precisava. No fim das contas, a vontade de ter autonomia falou mais alto. Não pelo fato de se separar da “Universidade-mãe” – a UFRPE – mas pelo fato de alçar voos mais altos, mais concretos.

 

Vista aérea da UAG, que se tornará a UFAPE em breve

 

A história da UAG é marcada pelo seu pioneirismo, foi ela a primeira expansão universitária do Brasil, onde em 2005 vimos a real interiorização do ensino público. Com quase 13 anos de história, conta com uma infraestrutura adequada para as práticas didáticas e laboratoriais. Contém estrutura de excelência internacional. São 7 cursos de graduação e 3 de mestrado, sem contar com os projetos de ensino, pesquisa e extensão. Também há a fazenda universitária e mais recentemente foi iniciada a construção do prédio da biblioteca.

No mês de outubro de 2016, foi lançada uma consulta à comunidade acadêmica para saber se era de sua vontade que a UAG se tornasse uma Universidade Autônoma. A grande maioria escolheu pela criação da nova instituição. Imediatamente a Reitora da UFRPE, Profa. Maria José de Sena, juntamente com o diretor-geral da Unidade, Prof. Airon Melo, convocaram uma reunião com todos os setores acadêmicos para explicar o que ocorreria a partir daquele momento e então foi convocada uma comissão de criação do projeto que criaria o novo Instituto Federal de Ensino Superior (IFES). Como dito anteriormente, houve uma participação em massa da comunidade, que subdividiu-se em pastas onde escreveriam o novo projeto.

 

O Senado Federal aprovou a criação da Universidade Federal do Agreste no último dia 27 de fevereiro

 

Da minha subcomissão (Identidade Institucional) surgiu o nome, a missão e o objetivo da nova instituição. O trabalho foi prazeroso. Tivemos a honra de chamá-la Universidade Federal do Agreste; agreste não só de Pernambuco, agreste do Brasil. Somos agreste, seja geograficamente ou culturalmente e abraçamos essa ideia. O processo seguiu para a Brasília e até então não tínhamos mais notícias. Como a esperança é a última que morre, foi aprovada pela comissão de Educação do Senado e agora deverá passar em plenário. A lei de criação deverá ser assinada pela presidência da República e finalmente o agreste, não só de Pernambuco, mas do Brasil terá sua Universidade Federal.

 

*Este texto é exclusivamente uma opinião do autor.

  • 314
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Pular para a barra de ferramentas